sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Uma Névoa de Outono - Poema de Fernando Pessoa






Uma névoa de Outono o ar raro vela,
Cores de meia-cor pairam no céu.
O que indistintamente se revela,
Árvores, casas, montes, nada é meu.

Sim, vejo-o, e pela vista sou seu dono.
Sim, sinto-o eu pelo coração, o como.
Mas entre mim e ver há um grande sono.
De sentir é só a janela a que eu assomo.

Amanhã, se estiver um dia igual,
Mas se for outro, porque é amanhã,
Terei outra verdade, universal,
E será como esta [...]



Fernando Pessoa


4 comentários:

  1. Como dizia um conhecido crítico literário, o homem escrevia acerca de tudo o que via.
    Está aqui um bom exemplo.
    Bfds

    ResponderEliminar
  2. sempre lindo Fernando Pessoa !!
    grande abraço e um feliz fim de semana abençoado !!
    :o)

    ResponderEliminar
  3. El toño en su reposo despierta esa reflexión de vida...

    ResponderEliminar
  4. Linda partilha querida amiga ,muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo