Páginas

sábado, 23 de junho de 2018

0 🌻 Orgulho-da-Madeira (Pride of Madeira)




Com lindas flores roxas, o Orgulho-da-Madeira é uma espécie de planta com flor pertencente à família Boraginaceae. É originária da Ilha da Madeira, tem como nome científico, Echium candicans, sendo conhecida popularmente como Orgulho-da-madeira, Massaroco, Soajos.




São plantas arbustivas perenas, o seu tamanho pode ir de 1,5 m a 2.5 m. A sua inflorescência é uma espiga, que chega medir 60cm, repleta de flores de cor roxa ou azul, com estames vermelhos.




Gostam de sol pleno, solo bem drenado e regas moderadas. Não é uma planta muito exigente e resiste muito bem a ventos, podendo por isso ser utilizada em zonas litorais e jardins rochosos . Podem ser utilizadas em bordaduras, vasos ou jardineiras.




Texto explicativo: Wikipedia, outros net
Fotos: António Rodrigues (marido)


sexta-feira, 22 de junho de 2018

21 O Pintor Jacques François Joseph Carabain




Jacques François Joseph Carabain, ou Jacob Frans Jozef Carabain (23 de fevereiro de 1834, Amsterdão - 2 de janeiro de 1933, Schaerbeek) era um pintor holandês-belga, conhecido principalmente pelas suas cenas de cidades e edifícios no estilo romântico-realista. 





Estava especialmente interessado em estruturas medievais e barrocas, e era frequentemente atraído por mercados movimentados. Começou os seus estudos na Amsterdam Kunstakademie, onde inicialmente se dedicou a apintar paisagens e marinhas, bem como paisagens urbanas. Teve como professores Jacobus Schoemaker Doyer e Valentijn Bing (1812-1895).




A sua primeira grande exibição foi na Exposição de Mestres Vivos em 1852. Viveu em Amsterdão até 1856, viajando depois pela Europa, morou em Bruxelas por um curto período antes de se estabelecer em Schaerbeek. Foi lá que ele começou a se especializar em paisagens urbanas tendo sido influenciado por François-Antoine Bossuet.  Expôs na Terceira (1873) e Quarta (1874) Exposições Internacionais em Londres. Em 1880, tornou-se cidadão belga. Em 1885, viajou para a Nova Zelândia e Austrália, onde expôs na Academia Vitoriana de Artes. Depois de morar em Melbourne por um tempo, voltou para casa em 1889. 





De 1894-1897, pintou uma série de 59 aguarelas representando as antigas áreas de Bruxelas. Este foi o resultado de uma comissão do prefeito Charles Buls, que estava preocupado com os grandiosos planos de redesenvolvimento executados pelo rei Leopoldo II. 




Em 2011, realizou-se uma grande exposição sobre estas obras no Museu da Cidade de Bruxelas. Realizou a sua última exposição em 1907 e parece ter parado de pintar.





Morreu um mês antes de seu 99º aniversário. Dois dos seus filhos tornaram-se artistas; Victor (1863-1942), que também fez paisagens urbanas, e Emile, um pintor de natureza morta sobre quem pouco se conhece.




Texto explicativo: Wikipedia


quinta-feira, 21 de junho de 2018

18 Caminhada ...






“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.”



Cora Coralina






quarta-feira, 20 de junho de 2018

19 Igreja de S. Pedro - Castelo de Vide




Na nossa visita a Marvão, fomos também visitar Castelo de Vide. Junto a uma rotunda na EN246-1, num local denominado Martinho a mais ou menos 350 metros a Sul de Castelo de Vide, encontra-se a pequena Igreja de São Pedro, que terá sido construída no séc. XVI.








Dali se avista a linda vila de Castelo de Vide.





Próximo Post: Pelas Ruas de Castelo de Vide


terça-feira, 19 de junho de 2018

25 🌼 Spiraea japonica Little Princess




Com lindas flores rosa, a Spiraea japonica Little Princess pertence à família Rosaceae. É originária da China, Coreia e do Japão.





É também conhecida por Spirea Japonesa, Spirea da Coreia e Spirea Bumalda. São plantas arbustivas de folha caduca. São arbustos densos e baixos sendo a altura média de 60 cm, no solo as hastes podem atingir 1 metro. As suas inflorescências são compostas de muitoas pequenas flores em tons de rosa que florescem nas extremidades dos rebentos.




Gostam de sol pleno, solo bem drenado e regas moderadas. Não é uma planta muito exigente. De lindo efeito paisagistico pode ser utilizado em bordaduras, ao longo de acminhos ou como sebe.




Texto explicativo: Wikipedia, outros net
Fotos: pessoais


domingo, 17 de junho de 2018

52 As Orquídeas da Pintora Ora Sorensen




A artista Ora Sorensen nasceu em Nova York, mas cresceu no exterior em países como a Líbia, Turquia, Irão, Holanda e Tailândia. Ao longo de suas viagens de infância, Ora passou muito tempo desenhando, pintando e fazendo oficinas de artistas de todo o mundo.






É membro do conselho de administração do Museu de Arte e História de Cornell em Delray Beach, Flórida, e suas pinturas foram exibidas na Ritter Art Gallery da Florida Atlantic University e no Fort Lauderdale Museum of Art.






O seu trabalho está em muitas colecções particulares, bem como na Cleveland Clinic e nos Intercontinental Hotels.






As suas pinturas evocam toda beleza da natureza, com cores vibrantes, luz brilhante e sombras dançantes.



sábado, 16 de junho de 2018

29 🌼 Papoilas




As Papoilas que encontrei num dos meus passeios.







Adoro observá-las, são flores simples mas elegantes, coloridas e cheias de charme. Lembram-se sempre os meus tempos de criança.



quinta-feira, 14 de junho de 2018

36 Visitando Castelo de Vide




Como já referi anteriormente, fomos passar o fim de semana de Páscoa a Marvão e aproveitamos também para ir visitar Castelo de Vide uma vez que fica apenas a 10 Km.






Esta linda, tranquila e romântica Vila, localizada na Serra de S. Mamede. Com os seus jardins e abundante vegetação é conhecida como a "Sintra do Alentejo".






De manhã o tempo estava lindo apenas com algumas nuvens no céu e deu para passearmos pelas suas ruas estreitas a lembrar outros tempos, subimos até ao Castelo, visitámos a Igreja Matriz de St. Maria da Devesa, fomos até ao Fontanário da Judiaria, passámos pelo Largo da Câmara e finalizamos o nosso passeio no Parque João José da Luz. De tarde o céu ficou muito encoberto e começou a chover, pelo que terminámos a nossa visita e regressamos a Marvão.










Foi pena termos pouco tempo para poder apreciar tudo o que esta encantadora Vila tem para oferecer.



Como é costume, irei mostrar gradualmente os meus "olhares" por Castelo de Vide.
Próximo Post: Igreja de S. Pedro