domingo, 31 de outubro de 2010

Poema da amizade


A todos os que passam pelo meu cantinho e me apoiam nos bons e menos bons momentos, através das suas mensagens e palavras amigas, fica aqui o meu sincero OBRIGADO.



Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe...
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.


Autor: Embora em alguns sites seja atribuido a Albert Einstein, carece de registos documentais




"A amizade é uma alma que habita em dois corpos; um coração que habita em duas almas" Aristóteles

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Felicidade é transmissível




Você já pensou no sentido da palavra "felicidade"?
Talvez sim, ou talvez não.
Geralmente, o que se ouve é que felicidade não existe, que o quê existem são apenas momentos felizes.

Ai, eu lhe pergunto: será mesmo?

Será mesmo que algo tão grandioso como a felicidade consiste apenas em coisas tão transitórias?

Estará a felicidade apenas num carro novo?
Estará a felicidade numa viagem pela Europa?
Estará a felicidade na compra de uma casa nova?
Estará a felicidade no encontro de alguém que "fará" você feliz?

Na verdade, a felicidade real e concreta está dentro de cada um de nós.
Só que, para reconhecê-la como verdadeira, faz-se necessário uma análise de vida...

Você já reparou nas coisas boas que o(a) cercam?

Já notou como, todos os dias, tantas coisas boas acontecem e você só valoriza o que é ruim? 

Já observou que a vida é um fluir contínuo como as águas de um rio, no qual você navega, só que, muitas vezes, contra a corrente?

Você tem dentro de si muitas resistências e uma delas se desenvolveu contra o "ser feliz".
Estar alegre pode ser passageiro, mas estar feliz é eterno e não depende de nada.

Basta apenas que você olhe para dentro de si mesmo(a) e acredite em tudo o que pode realizar, naquilo que pode construir.
 
Você já fez amizade consigo?

Você é sua amiga ou seu amigo de verdade?
Será que está a seu favor ou contra si mesmo(a)?

Então, que tal ser feliz de verdade?

Que tal valorizar-se enquanto ser vivente, não importa seu grau de humanidade?

Sorria com mais frequência!
Acorde de manhã de bom humor!
Quando perguntarem como vai,
diga que está cada vez melhor!

 
Assuma a condição de ser feliz de verdade não importando qualquer tipo de dificuldade.

Você as vence, com certeza!
 
Felicidade é transmissível!
Pense nisso...

Fonte: Email recebido

"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho." (Mahatma Gandhi)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Flor de maracujá - Poema de Fagundes Varela





Flor de maracujá

Pelas rosas, pelos lírios,
Pelas abelhas, sinhá,
Pelas notas mais chorosas
Do canto do sabiá,
Pelo cálice de angústias
Da flor do maracujá!

Pelo jasmim, pelo goivo,
Pelo agreste manacá,
Pelas gotas de sereno
Nas folhas do gravatá,
Pela coroa de espinhos
Da flor do maracujá.

Pelas tranças da mãe-d'água
Que junto da fonte está,
Pelos colibris que brincam
Nas alvas plumas do ubá,
Pelos cravos desenhados
Na flor do maracujá.

Pelas azuis borboletas
Que descem do Panamá,
Pelos tesouros ocultos
Nas minas do Sincorá,
Pelas chagas roxeadas
Da flor do maracujá!

Pelo mar, pelo deserto,
Pelas montanhas, sinhá!
Pelas florestas imensas
Que falam de Jeová!
Pela lança ensanguentada
Da flor do maracujá!

Por tudo que o céu revela!
Por tudo que a terra dá
Eu te juro que minh'alma
De tua alma escrava está!!..
Guarda contigo este emblema
Da flor do maracujá!

Não se enojem teus ouvidos
De tantas rimas em - a -
Mas ouve meus juramentos,
Meus cantos ouve, sinhá!
Te peço pelos mistérios
Da flor do maracujá!

(Fagundes Varela)



quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Finlândia


Por vezes não é possível viajar, as razões podem ser várias, falta de dinheiro, de saúde, idade avançada, enfim podem existir diferentes factores e motivos. No entanto, isso não deve ser impeditivo de conhecer novos locais e costumes, podemos viajar sem sair da nossa cadeira, vendo fotografias que nos transportam, se assim a nossa predisposição quiser, a lugares longínquos.
Para todos os que gostam de viajar, nem que seja através da imaginação, aqui deixo fotos e informações, que nos vão permitir conhecer um pouco mais outras terras e culturas.

Hoje vamos viajar até … Finlândia.

Boa viagem!

A Finlândia ("Suomi" em Finlandês) é um país nórdico situado na região da Fino-Escandinávia, no norte da Europa. Faz fronteira com a Suécia a oeste, com a Rússia a leste e com a Noruega ao norte, enquanto a Estónia está ao sul através do Golfo da Finlândia.


A capital é Helsinquia

Língua: Há duas línguas oficiais na Finlândia: o finlandês, falado por 92% da população como língua materna e o sueco, falado por 5,5% dos habitantes.


A bandeira é também chamada de Siniristilippu. Ela tem duas faixas azuis que atravessam um plano de fundo branco. O azul representa os lagos da Finlândia, o mar Báltico e o céu, o branco representa a neve e as noites claras do verão finlandês.
Há dois modelos, a bandeira nacional (civíl) e a bandeira do estado, as duas seguem o mesmo modelo, a única diferença é que na bandeira inclui-se o simbolo naval da Finlândia no meio das hastes da cruz.



O Brasão O Brasão de armas da Finlândia é composto por um leão coroado num campo vermelho, a pata dianteira substituída por uma mão blindada brandindo uma espada, em que este está sobre uma outra espada. Oficial apenas desde 1978, o brasão de armas foi originalmente criado por volta do ano 1580.
O brasão de armas aparece na bandeira finlandesa. O leão finlandês também é usado numa ampla variedade de emblemas de diferentes entidades estatais, muitas vezes modificado para descrever as atribuições da unidade ou da autoridade.


A economia da Finlândia é altamente industrializada. O sector-chave da sua economia é a indústria - principalmente madeireira, metalurgia, engenharia, telecomunicações (destaque para a Nokia) e produtos electrónicos. Com excepção da madeira e de vários minérios, a Finlândia depende de importações de matérias-primas, energia, e alguns componentes de bens manufacturados. Por causa do clima rigoroso, o desenvolvimento da agricultura é limitado a produtos básicos de subsistência. A exploração madeireira, uma importante fonte de renda, fornece um segundo trabalho para a população rural.

Religião - A maior parte dos finlandeses (83,3%) são membros da Igreja Luterana da Finlândia, com uma minoria de 1,1% pertencente à Igreja Ortodoxa. As duas são igrejas oficiais do estado.

clima é caracterizado por Invernos frios e Verões quentes, mas as temperaturas no Inverno são moderadas pela influência do Mar Báltico e dos ventos de Oeste que sopram do Atlântico, aquecido pela Corrente do Golfo. A temperatura média anual na capital, Helsínquia, é de 5,3 C. No Verão, a temperatura diurna mais alta no sul da Finlândia chega a atingir os 30 C. Durante os meses de Inverno, especialmente em Janeiro e em Fevereiro, as temperaturas de 20 graus negativos não são raras.

Foto: 1zoom.net

Gastronomia O prato típico da Finlândia é a famosa mesa de entradas nórdicas, Smörgasbord a qual apresenta dúzias de variedades de peixe, carne e fatos assim, como de saladas (embora também podem encontrar-se sopas e pratos de cozimento lento). O peixe é um dos mais tradicionais e pratos típicos deste país, feito de várias maneiras, com diferentes sabores e texturas, como na chapa, panado, ou cozido, acompanhado de legumes e frutos da terra, que confere um sabor delicioso. Além disso, carne da rena é um prato tradicional da Finlândia.

A Finlândia é um país com milhares de lagos e ilhas. Um destes lagos, o Saimaa, é o 5º maior lago da Europa. A maioria dos lagos estão no centro da Finlândia. Não são espelhos de água circulares e regulares mas alongados e rochosos, cheios de baias, e povoados de pequenas ilhotas com águas cristalinas aptas para beber. 

Foto: freeWalpaperNa

Cerca de 75% da área terrestre do país está coberto por Taiga (ou floresta boreal), com pouca terra arável, o tipo mais comum de rocha é o granito. Grande parte das ilhas estão localizadas no sudoeste, no Mar do Arquipélago, parte do arquipélago das ilhas Aland, e ao longo da costa sul do Golfo da Finlândia. A paisagem finlandesa é predominantemente plana, com algumas colinas e montes baixos. O ponto mais alto do país, o Halti, com 1328 m, encontra-se no extremo norte da Lapónia.

Um quarto do território finlandês situa-se a norte do Círculo Polar Árctico, e consequentemente é possível experimentar o Sol da meia-noite — mais frequente à medida que se caminha para norte.

Foto: 1zoom.net

No ponto mais setentrional da Finlândia, o Sol não se põe durante 73 dias no verão e não nasce durante 51 dias no inverno. A distância que separa o extremo sul do país, Hanko, do extremo norte, Nuorgam, é de cerca de 1.445 quilómetros, o que daria cerca de 18 horas de condução.

Toda Finlândia é um "Grande Parque Nacional", no qual existem espalhados uns 30 Parques Nacionais. Árvores e água são os aspectos mais evidentes das paisagens naturais da Finlândia. As florestas cobrem mais de dois terços da terra e os lagos e rios representam quase mais um décimo. Mas o que dá ao cenário finlandês o seu charme particular é a acção combinada destes dois elementos.

Alguns dos Locais a visitar:

HELSINKIA
A capital da Finlândia mima seus visitantes com sua arquitectura; a famosa igreja de Temppeliaukio, (luterana) cavada em uma rocha e coroada por uma cúpula de cobre, assim como, o Museu Nacional. A Praça do Mercado, um centro cultural de grande vitalidade, e o Edifício do Velho Mercado do Porto são o centro para os que procuram maravilhas culinárias.

 Foto: http://www.globeimages.net

A obra mais apreciada é o Centro, do estilo imperial, um monumento arquitectónico, cujo centro formam a Catedral evangélica-luterana e a Praça do Senado, com os seus edifícios do estilo neo-clássico.

O Monumento a Sibelius, obra da escultora Eila Hiltunen, está situado no parque com o nome do mestre e é uma homenagem ao compositor nacional da Finlândia. Entre os museus cabe destacar o Ateneum. Desde o mar pode-se identificar a Catedral de Uspenski pelas douradas cúpulas.

Foto: www.geolocations.com
ESPOO
A Cidade-Jardím de Tapiola é um dos cinco núcleos urbanos da Espoo Em Espoo encontra-se, também, Otaniemi com suas escolas e centros de investigação, os quais convertem-na em berço do ensinamento de alta tecnologia na Finlândia. A característica básica da Espoo é a diversidade das paisagens, as quais variam desde sua costa com numerosas ilhas até as escarpadas paisagens virgens, com numerosos lagos passando pelos planos campos de cultivo dominados pelas fazendas. Vale a pena visitar o Parque Nacional de Nuuksio e o Parque aquático de Serena.

COSTA ORIENTAL
Na Costa Oriental do sul da Finlândia acham-se as cidades de Porvoo, conhecida pelo encantador bairro antigo e Askola com vinte poços glaciais no seu município; Loviisa, em cuja Baia a uns 10 quilômetros da cidade está a fortaleza marítima de Svartholm, com acesso à cidade por barcos; e Orimattila, onde encontra-se o Castelo da Arte. A cidade marítima de Kotka, cuja história nos leva à época dos vikings, é actualmente o porto de exportação mais importante do país, enquanto que o arquipélago frente às costas da cidade oferece infinidades de possibilidades, para a pesca e o recreio.

AS ILHAS ALAND
O Arquipélago de Aland, formado por 6.500 ilhas, tem um governo autónomo desde 1921; é também, uma zona desarmada e completamente desmilitarizada com sua própria bandeira, desde 1964 e seu próprio selo, desde 1993. A única cidade e centro administrativo do arquipélago é Mariehamn, cidade dos marinheiros, onde encontra-se o Museu Naval de Aland e o veleiro de quatro mástiles Pommern, orgulho da região.

TURKU
Turku, é a cidade mais antiga da Finlândia. É interessante visitar o Castelo e a Catedral da cidade, ambos construídos nos séculos XIII e XIV, porque constituem uma parte essencial da história da Finlândia. O arquipélago que leva seu nome está formado por milhares de ilhas e ilhotas e é um dos tesouros nacionais da Finlândia.

OULU
Oulu é a capital do norte da Finlândia e está em pleno desenvolvimento. Um dos pontos de máximo interesse é o seu Parque da Ciência "Tietomaa", uma maravilha da informática. Frente a suas costas está a Ilha de Hailuoto. Também nesta zona pode-se desfrutar de longas e desérticas praias e belos parques.

TAMPERE
Tampere, no centro sul da Finlândia é uma cidade viva, fundada em 1779. De verão é um verde oásis, cujas águas limpas convidam a tomar um banho. Destacam as margens do rápido de Tammerkoski com suas pontes e casas de tijolo vermelho, a Praça Maior, a Catedral, as Colinas de Pyynikki e o tradicional bairro de Piispala.

SAVONLINNA E PARIKKALA
No coração da região encontra-se a cidade de Savonlinna, construida sobre ilhas em volta do Castelo de Olavinlinna, uma obra medieval do século XII e cenário do sumptuoso Festival da Ópera de Savonlinna. Perto, encontra-se a Igreja de Kerimäki, a maior igreja de madeira do mundo e, o Museu da Pesca Lacustre na Finlândia. No distrito de Parikkala está a Reserva de Aves de Siikalahti, conhecida pelo cantar de seus pássaros ao anoitecer.

LAPÓNIA
Lapónia ocupa um terço da superfície da Finlândia. A maior parte da sua área está situada ao norte do Círculo Polar. Trata-se do país dos samis, das renas e do Pai Natal. Os sami são os povoadores originais da Lapónia, com profundas tradições culturais, sobretudo ao norte.

Foto: www.finland.org

ROVANIEMI
A capital da região é Rovaniemi, onde se juntam dois grandes rios e está rodeada de montes cheios de bosques. É escala imprescindível em qualquer visita a Lapónia, pois trata-se de uma cidade moderna. Entre os lugares mais destacados inclui-se a Ponte Jätkänkyntilä, com sua chama eterna sobre o rio Kemijoki, a Casa Arktikum, que emerge dos bancos do rio Ounasjoki, a Prefeitura, a Casa Lappia, que serve como teatro, a Sala de Convenções e a Biblioteca.

TORNIO
A cidade de Tornio é a ponte que une Finlândia com o oeste. É a cidade mais antiga da Lapónia. Está situada no fim do Golfo de Botnia junto ao rio do mesmo nome, que serve de fronteira entre Suécia e Finlândia. Lá encontra-se o maior rio da Finlândia, o Kukkola.  A oferta cultural de Tornio, inclui o Museu da Arte de Aine, o Museu Regional, a antiga Igreja de Madeira e a Igreja Ortodoxa.

Foto: wikipedia_Matthew Ross

Diz-se que todas as estações do ano, cabem na Finlândia. Cada uma tinge com sua própria luz a paisagem e disfarça com a sua peculiaridade a ambundante natureza deste belo país. No inverno tudo se cobre de branco, mas os primeiros raios de Abril, descem para descobrir os tons verdes suaves da paisagem finlandesa e os céus vão clareando. A chegada do verão tempera o ambiente com uma brisa quente e o outono madura os campos até que de novo os cobre o inverno.

Um dos elementos naturais mais deslumbrantes que a Finlândia tem é a aurora boreal, um fenómeno que pode ser visto durante quase todo o inverno na Lapónia finlandesa. São partículas oriundas do Sol, que geram o chamado "vento Solar", que ao carregarem os electrões dos átomos de oxigênio e azoto da atmosfera geram efeitos coloridos.

Foto: www.hdfreewallpaper.net

A Finlândia tem muito para oferecer a quem a visita. Numerosos monumentos, edifícios magnificos, esplêndidos bosques e pradarias, lagos de águas cristalinas, tudo isto envolto numa cultura rica em tradições e história, que está presente na arquitetura elegante das suas cidades e aldeias.


Poderá ver este post completo no meu blogue de viagens " Viajar é alargar os nossos Horizontes" em: Finlândia


Fontes e Fotos :“Wikipedia”; “portalsaofrancisco”; “Finlândia.org.pt”, “Manualdoturista”; “Viagensimagens”; 1zoom.net;  http://gde-fon.com; 1ms.net; http://www.globeimages.net; outros


“Viajar é estar aberto ao novo, aos outros e a ver a vida com outros olhos.” (Cristiane Galvão)


terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pudesse Eu - Poema de Sophia de Mello Andreson





Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!


Sophia de Mello Breyner Andreson


domingo, 24 de outubro de 2010

Terra - Poema de Francisco Joaquim Bingre





Terra

Ó Terra, amável mãe da Natureza!
Fecunda em produções de imensos entes,
Criadora das providas sementes
Que abastam toda a tua redondeza!

Teu amor sem igual, sem par fineza,
Teus maternais efeitos providentes
Dão vida aos seres todos existentes,
Dão brio, dão vigor, dão fortaleza.


Tu rasgas do teu corpo as grossas veias
E as cristalinas fontes de água pura
Tens, para a nossa sede, sempre cheias.


Tu, na vida e na morte, com ternura
Amas os filhos teus, tu te recreias
Em lhes dar, no teu seio, a sepultura.


Francisco Joaquim Bingre


"A natureza é sábia e justa. O vento sacode as árvores, move os galhos, para que todas as folhas tenham o seu momento de ver o sol."(Humberto de Campos)

sábado, 23 de outubro de 2010

Em uma Tarde de Outono - Poema de Olavo Bilac


Outono. Em frente ao mar. Escancaro as janelas
Sobre o jardim calado, e as águas miro, absorto.
Outono... Rodopiando, as folhas amarelas
Rolam, caem. Viuvez, velhice, desconforto...

Por que, belo navio, ao clarão das estrelas,
Visitaste este mar inabitado e morto,
Se logo, ao vir do vento, abriste ao vento as velas,
Se logo, ao vir da luz, abandonaste o porto?

A água cantou. Rodeava, aos beijos, os teus flancos
A espuma, desmanchada em riso e flocos brancos...
Mas chegaste com a noite, e fugiste com o sol!

E eu olho o céu deserto, e vejo o oceano triste,
E contemplo o lugar por onde te sumiste,
Banhado no clarão nascente do arrebol...

Olavo Bilac



"Outono é outra Primavera, cada folha uma flor." (Albert Camus)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Galopando com a Vida

Aceita por completo a tua presença na Terra e escolhe, a cada momento, a beleza, a bondade, a verdade e a vida, lembrando-te sempre de que tudo isto e Deus é a mesma coisa.


Não tens que vencer todos os argumentos: Concorda para discordar.
A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém
Quando estiveres em dúvida dá o próximo passo.


Duas coisas indicam fraqueza: O calar-se quando é preciso falar, e o falar quando é preciso calar-se.
O que não te mata torna-te mais forte.
Exige muito de ti e espera pouco dos outros.


Não te armes em vítima e não te comportes como um salvador.
O que os outros pensam de ti não é da tua conta.
Faz a paz com o teu passado, para que ele não estrague o teu presente.


O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros.
Põe definitivamente de parte o hábito de querer mudar os outros.
Muito sabe quem conhece a própria ignorância.


Mantém a cabeça sempre fria, o coração sempre quente e a mão sempre larga.
Quem não pode o que quer, que queira o que pode.
Comporta-te como um “curandeiro” que traz alegria e luz, em vez de críticas ou indiferença.

Deixa-te guiar pela intuição pessoal em vez de agires sob a pressão do medo.
A passagem do tempo deve ser uma conquista e não uma perda.
Viver é a única coisa que não dá para deixar para depois.

Fonte: email recebido


"Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida. " (Provérbio chinês)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Luar do sertão - Roberta Miranda


Quando voltei do Rio de Janeiro, em conversa com o meu marido referi, que há alguns anos atrás, eu gostava imenso de ouvir uma canção que falava do sertão, mas não me recordava do nome, nem de quem cantava. Ele foi ao Youtube e conseguiu encontrar. Aqui fica a canção, que ainda hoje gosto muito de ouvir!

Luar do sertão



Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão
Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão

A lua nasce por detrás da verde mata
Mais parece um sol de prata, prateando a imensidão
E a gente pega na viola e ponteia
E a canção é lua cheia, a nos nascer do coração

Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão
Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão

Mas como é lindo
ver depois por entre o mato
deslisar calmo regato,
transparente como um véu

No leito azul
das suas águas murmurando
e por sua vez roubando
as estrelas lá do céu

Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão
Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão

Coisa mais bela
Neste mundo não existe
Do que ouvir um galo triste
No sertão, se faz soar

Parece até que a alma da lua
É que descamba
Escondida na garganta
Deste galo a soluçar

Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão
Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão

Ai que saudade
Do luar da minha terra
Lá na serra branquejando
folhas secas pelo chão

Este luar cá da cidade
é tão escuro
Não tem aquela saudade
Do luar lá do sertão

Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão
Não há, ó gente, oh! Não ...
Luar como esse do sertão


Composição: Catulo da Paixão Cearense / João Pernambuco
Cantor: Roberta Miranda



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O teu riso - Poema de Pablo Neruda


Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no Outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera , amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pedido dos Animais


Recebi um email que quero partilhar com todos caminhantes da net, que passem aqui pelo meu cantinho.

É um pedido dos Animais, mas é um olhar para nós próprios, é um olhar para o futuro que queremos deixar aos nossos filhos, é um apelo a sermos melhores seres humanos.






































































"A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de carácter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." (Arthur Schopenhauer)