sábado, 25 de novembro de 2017

Fonte - Poema de Pedro Homem de Mello




Meu amor diz-me o teu nome
— Nome que desaprendi...
Diz-me apenas o teu nome.
Nada mais quero de ti.
Diz-me apenas se em teus olhos
Minhas lágrimas não vi,
Se era noite nos teus olhos,
Só por que passei por ti!
Depois, calaram-se os versos
— Versos que desaprendi...
E nasceram outros versos
Que me afastaram de ti.
Meu amor, diz-me o teu nome.
Alumia o meu ouvido.
Diz-me apenas o teu nome,
Antes que eu rasgue estes versos,
Como quem rasga um vestido!


Pedro Homem de Mello, in "Grande, Grande Era a Cidade..."




10 comentários:

  1. Gostei da escolha bonito poema.
    Beijinhos
    Léah

    ResponderEliminar
  2. Poema profundíssimo e lindo, amei!
    Bjos!

    ResponderEliminar
  3. Dando voz à escrita de um enorme poeta- Amei ler
    .
    Bom dia, feliz fim de semana.
    .

    ResponderEliminar
  4. Interessante, Maria, estive a ler este poema ontem.
    Estive "vai não vai" para o postar. :)))
    E agora tenho o prazer de o reler aqui.

    Obrigada.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Lindo. lindo! AMEI!!

    Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Muito bonito. Creio que já lhe disse uma vez que gosto muito de Pedro Homem de Melo.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  7. Que ternura... :) Adorei o poema!
    Beijinho, Maria, bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  8. Tão lindo e romântico este poema!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Não conhecia o poema, embora sempre tenha gostado deste poeta encantado com a cultura genuína do povo.
    E gostei.
    Beijinho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo