segunda-feira, 7 de junho de 2010

Quinta da Regaleira - Sintra


A Quinta da Regaleira é um local muito especial, lindo e envolvente. O ano passado fui com a minha família visitar e adoramos. É simplesmente, um espaço de sonho e fantasia com lagos, criptas, natureza, palácio, misticismo, religião, maçonaria, arte, enfim uma visita a não perder.


Situada em pleno Centro Histórico de Sintra, classificado Património Mundial pela UNESCO, a Quinta da Regaleira é um lugar fascinante. 




As suas origens remontam ao início do século XVII. A documentação histórica relativa à Quinta da Regaleira é escassa para os tempos anteriores à sua compra por Carvalho Monteiro.



Sabe-se todavia que, em 1697, José Leite adquiriu uma vasta propriedade no termo da vila de Sintra que corresponderia, aproximadamente, ao terreno que hoje integra a dita Quinta - a esta data parecem remontar, pois, as origens da quinta em questão.


Foto: net

Francisco Alberto Guimarães de Castro comprou a propriedade - conhecida como Quinta da Torre ou do Castro - em 1715, em hasta pública e, após as licenças necessárias, canalizou a água da serra a fim de alimentar uma fonte ai existente.




Em 1800, a quinta é cedida a João António Lopes Fernandes estando logo, em 1830, na posse de Manuel Bernardo, data em que tomou a designação que actualmente possui. Em 1840, a Quinta da Regaleira foi adquirida pela filha de uma grande negociante do Porto, Allen, que mais tarde foi agraciada com o título de Baronesa da Regaleira. Data provavelmente deste período a construção de uma casa de campo que é visível em algumas representações iconográficas de finais do século XIX.




A história da quinta da Regaleira actual principia, todavia, em 1892, ano em que os barões da Regaleira vendem a propriedade ao Dr. António Augusto Carvalho Monteiro (o Monteiro dos Milhões). Carvalho Monteiro, com a ajuda do arquitecto-cenógrafo italiano Luigi Manini, faz dela, no princípio do século XX, um reflexo do seu sentido de patriotismo, edificando um palacete em estilo neo-manuelino.




A imaginação destas duas personalidades invulgares concebeu, por um lado, o somatório revivalista das mais variadas correntes artísticas - com particular destaque para o gótico, o manuelino e a renascença - e, por outro, a glorificação da história nacional influenciada pelas tradições míticas e esotéricas. Envolvido por uma vegetação luxuriante, o palácio da regaleira é uma descoberta fascinante. 




É um dos mais marcantes exemplos de arquitectura revivalista no país, privilegiando o neomanuelino e com influências camonianas. É célebre por em muitos dos seus elementos arquitectónicos, ter sinais de ritos e concepções maçónicas.


Foto: Olhares

Logo no começo da visita percorremos o Patamar dos Deuses, terraço onde estátuas de vários seres divinos estão alinhadas ao longo do caminho. Aqui encontramos doze figuras da mitologia greco-romana que devem ser interpretadas como as doze Hierarquias Criadoras, representadas nos signos do Zodíaco assim como a estátua de um leão (que data já da época em que a Quinta era pertença da Baronesa da Regaleira), que é uma representação do sol que equivale na Alquimia ao Ouro.





Próxima paragem obrigatória a Capela da Santissima Trindade, nela estão representados Santa Teresa d'Ávila e Santo António. No meio, a encimar a entrada está representado o Mistério da Anunciação - o anjo Gabriel desce à terra para dizer a Maria que ela vai ter um filho do Senhor - e Deus Pai entronizado. Na Capela econtra-se a imagem do Delta-radiante (ou Delta-Teúrgico), com o olho de Deus sobreposto à cruz templária, emblema maçónico do Grande Olho Arquitecto do Universo.





Um pouco mais à frente encontramos a Gruta de Leda. Esta tem no seu interior uma escultura simbolicamente enigmática, a figura de uma dama segurando uma pomba e acompanhada de um cisne (que parece estar a mordê-la). Trata-se da representação de uma mortal por quem Zeus se apaixona, e na impossibilidade de existir uma relação entre ambos, este assume a forma de um belo cisne para assim se aproximar da sedutora mulher.




Um dos locais mais emblemátiocs da quinta é sem sombra de dúvida o Poço Iniciático, invocando a aventura dos Cavaleiros Templários, ou os ideais dos mestres da Maçonaria. Trata-se de uma galeria subterrânea em espiral, de 27 metros, por onde se descem nove patamares até às profundezas da terra. Este é o caminho por onde se desce à terra, ou num percurso contrário, se sobe ao céu, consoante a natureza do percurso iniciático escolhido. Os nove patamares lembram os nove círculos do Inferno, as nove secções do Purgatório e os nove céus do Paraíso, segundo a Divina Comédia de Dante. A principal ideia por detrás deste poço é a de morrer e voltar a nascer num rito de iniciação ligado à terra, uma vez que esta é o útero materno de onde provem a vida, mas também a sepultura para onde voltará.



No fundo poço iniciático, com os pés assentes numa estrela de oito pontas, o símbolo heráldico de Carvalho Monteiro e símbolo da harmonia e também da Cavalaria Espiritual na Maçonaria escocesa, é como se estivéssemos imersos no ventre da Terra-Mãe. 





Somos depois conduzidos através das trevas das grutas labirínticas,

Foto: Wikipedia

até ganharmos a luz, reflectida em lagos surpreendentes, no meio dos jardins.  A vida surge bela e plena de vitalidade.


Depois de sair do labirinto encontra-se a Torre que se assemelha a um observatório astronómico, o que não deixa de ser interessante por se contrapor ao mundo subterrâneo (visto que uma das saídas do Poço Iniciático nos leva à torre). Foi, não esta mas uma semelhante que deu inicialmente o nome à Quinta.




É extremamente revigorante fazer um passeio pelos seus encantadores e exóticos jardins.
Cada recanto do jardim foi projectado com extrema minúcia, embora muitas vezes não o pareça.




O visitante começa por ver canteiros de flores variadas, plantados de forma regular e sistemática, mas, à medida que avança no jardim, ele vai tomando formas diferentes; a vegetação vai ficando mais densa, adquire uma forma selvagem e confunde-se com a Natureza no seu estado original, o que demonstra a sua inspiração romântica.





E finalmente uma visita ao Palácio dos Milhões, verdadeira mansão filosofal de inspiração alquímica. É o edifício principal da quinta e é marcado pela presença de uma torre octogonal, um cruzamento de arquitectura manuelina, renascentista, gótica e romântica, sendo de uma beleza extraordinária, e de um simbolismo incrível.






Fica aqui uma visita virtual por este famoso espaço esotérico de Portugal, comentada pelo ex-Grão Mestre da Maçonaria Regular, José Manuel Anes.




A Quinta da Regaleira é um lugar de mistério, com alma própria, ela encerra muitos segredos, pois está repleta de símbolos mitológicos e esotéricos, estátuas de deuses, poços iniciáticos, jardins, grutas e todo um mundo aberto a múltiplas descobertas e interpretações. É uma viagem no tempo incrível.

Vá visitar, Vale a pena!

Fontes e Fotos: "www.visitportugal.com"; "www.cm-sintra.pt"; "www.maconaria.net"; "www.regaleira.pt"; "wikipedia"; Olhares; outros e visita local.



“O tempo é uma ilusão produzida pelos nossos estados de consciência à medida em que caminhamos através da duração eterna.” (Isaac Newton)

24 comentários:

  1. Sobre as rosas que perfumam meus caminhos
    eu declino cores, sons, versos e rimas
    que dormitam em gotas de sereno
    que as noites ligeiramente frias vem beijar...

    Em mim há só amor, inspiração e poesia
    embebidas no doce ar que respiro.

    Denise Flor ©

    Beijos perfumados no coração...M@ria

    ResponderEliminar
  2. querida maria,
    obrigada pelas gentis palavras no meu espaço.
    belissimo....bravooo..imagens perfeitas....


    Sempre me vem milhares de pensamentos e emoções quando leio suas palavras.
    Belo texto!
    Beijos e otima semana..

    ResponderEliminar
  3. Amiga Querida, bom dia!

    Obrigada por compartilhar conosco um lugar
    tão fascinante. " A Quinta da Regaleira"
    Fantástico! Fiquei encantadada com os jardins!

    Deixo um caloroso abraço no seu coração.

    Arnalda Rabelo

    ResponderEliminar
  4. Visitei a Quinta da Regaleira em 2008.
    Fiquei encantado com tanta beleza e mistério.
    Pensava voltar com mais tempo para desfrutar de tanta maravilha, mas ainda não foi possível.
    Tivemos um óptimo guia que nos soube introduzir nos misteriosos recantos de todo o jardim, capela, poço e palacete.
    Pensava que Sintra eram apenas aqueles três pontos importantes- Castelo dos Mouros, o Palácio da Pena e o Palácio da Vila.
    Bonita a sua postagem bem como as fotos escolhidas.

    ResponderEliminar
  5. Adorei o dia passado na quinta da Regaleira...
    E não é que parece haver aqui cantos, de
    que não me lembro???
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Maria querida...que lugares mais lindos...amo este estilo arquitetônico...tão rico em detathes maravilhosos.
    Tenha um serena semana amiga!
    Beijos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  7. Quanta maravilha há por esse mundo,não? Lindas fotos!beijos,ótima semana,chica

    ResponderEliminar
  8. Uma bela partilha amiga, obrigada.

    Bom dia!

    beijooo.

    ResponderEliminar
  9. Uma imagem mais mágica que a outra, lugar encantado esse. Um sonho!

    BeijooO'

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria!
    Deslubrante esta visita guiada que nos propocionas,a esta bela quinta da Regaleira... Está sublime esta tua postagem.Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  11. Minha querida Maria

    Ainda bem que postaste a maravilha que é a Quinta da Regaleira...é realmente uma beleza.

    Mas se puderes, vai à Quinta da Regaleira ver Teatro, sempre à noite, nem fazes ideia o que é de beleza, todos aqueles recantos iluminados.
    O meu filho tem uma peça de teatro todos os anos no verão, é maravilhoso.

    beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  12. Precioso lugar para estar un temporada, con bellas flores, un jardin esplendoroso que parece que sea el jardin del Eden.
    Primavera

    ResponderEliminar
  13. Que lugares lindos e de sonhos...
    Parece que cada um nos chama fortemente!
    Maravilhosa cada imagem!!
    Beijo minha amiga
    Bea

    ResponderEliminar
  14. Querida Maria. Tudo bem explicado e escrito,e nada falta por aqui.Já alguns anos visitei,e penso que seja ainda mais maravilhoso,que outros monumentos que Sintra tem,este na altura achei muito lindo e posso constactar que sim pelas fotos.
    Beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  15. Que viagem mais linda amiga! Lugares maravilhosos!!
    Obrigada pela partilha!
    Um grande abraço!!

    ResponderEliminar
  16. Me delicio e me encanto com tanta beleza, Maria querida!
    Bjkas, muitas!

    ResponderEliminar
  17. QUE LUGARES LINDOS, SÓ TEMOS A AGRDECER POR ENCANTAR OS NOSSOS OLHOS E NOS DEIXAR SONHANDO EM UM DIA CONHECELOS VC SEMPRE NOS PRESENTEIA COM MARAVILHAS COMO ESTAS,PARABENS QUERIDA PELO BOM GOSTO, UM ABRAÇO CARINHOSO CELINA

    ResponderEliminar
  18. Não às armas nucleares,
    não ao tormento da guerra.
    Minha canção sobe aos ares
    como um beijo vindo da terra.

    (Drummond)

    Beijos & Flores & Poesia...M@ria

    ResponderEliminar
  19. Uma quinta simplesmente fantastica :)

    Podes sempre pedi-la emprestada ao meu prof eheh

    DI

    ResponderEliminar
  20. Estarei na Quinta da Regaleira com imenso prazer e vou fotografar fotos infinitas para mais tarde recordar.

    ResponderEliminar
  21. Maria, Maria, Maria...
    Daqui do Brasil, na minha quarta mensagem, quero que saibas que "nunca te vi, mas sempre te amei".
    Obrigada pelas imagens!
    Que a tua LUZ continue iluminando cantos e recantos tão belos para o nosso deleite.
    Fique com Deus.

    ResponderEliminar
  22. Maria, amei teu blogue que conheci por minha amiga Beatriz, e pensar que vi muito de Sintra, e olhe que vi bastante, mas não conheci esse lugar mágico que preciso conhecer na próxima viagem. Obrigada e parabéns, continue espalhando tua luz. Beijo.

    ResponderEliminar
  23. Boa noite, Maria.
    Obrigado por ter comentado as minhas fotos, no Flog Acervo Fotográfico de Penacova.
    Estas fotos da Quinta da Regaleira estão excelentes, mostram toda a beleza misteriosa deste lugar,único no mundo.
    O arquitecto deste palácio tem outra obra extraordinária que é o Palácio Hotel do Buçaco, o qual sugiro que visite e que fica bem pertinho da minha terra que é Penacova.
    Beijo

    Teu novo amigo

    Óscar

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.