quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Despedida - Cecilia Meireles





Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão,
deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces? - me perguntarão.
- Por não ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras? Tudo. Que desejas? - Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação...
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
Estandarte triste de uma estranha guerra...)
Quero solidão.

Cecília Meireles


19 comentários:

  1. Ler poemas assim é uma felicidade. Que linguagem bela, que perfeição de versos!
    Levar o rumo nas mãos, não precisar de marcos e de imagens... uma despedida sem lamentos, de onde se sai procurando paz.
    Belíssima escolha!

    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Todos os poemas de Cecília Meireles são maravilhosamente bons.
    Este é realmente uma despedida e uma desilusão.
    «Que morra bem quem viver não soube»

    Parece que lendo-o e interiorizando-o nos sentimos afectados pelo seu desgosto.

    ResponderEliminar
  3. querida Maria

    É sempre bom evocar Cecília Meireles, com a sua sensibilidade à flor da pele. Este poema é muito belo, fala de solidão, despedida...Um tema de reflexão neste ano que se inicia.

    Beijos.

    Olinda

    ResponderEliminar
  4. Amiga querida, que o ano de 2012 seja repleto de saúde, paz, amor e muitas alegrias, juntamente com todos seus familiares.
    Sua postagem está maravilhosa, eu adorei,
    Cecilia Meireles é uma escritora fantástica,
    Parabéns pela brilhante postagem!

    ResponderEliminar
  5. Bom dia querida Maria,
    Adoro este poema de Cecilia Meireles, demonstra todo desapego na partida. Um grande abraço e um ótimo 2012 pra vc.

    ResponderEliminar
  6. oi minha amiga,

    Cecilia,
    é mesmo uma princesa das letras...
    Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
    lindo isso...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Bom Dia Maria. Como é bom logo de manhã estar aqui! Que lindo amiga. Esse poema de Cecilia é lindo.... apesar de seus versos triste, muito nos encanta essa grande poetisa. Há momentos que precisamos ficar só e refletir. Querida desejo um lindo dia pra vc e todo carinho. Bjos.

    ResponderEliminar
  8. Olá amiga, vim conhecer teu cantinho e me perdi por aqui, com tantas coisas lindas pra ver...maravilhoso! Te desejo um 2012 repleto de luz e paz!
    Beijos
    Mari

    ResponderEliminar
  9. Olá,Maria!!

    Escolha perfeita minha querida!!!!Uma poesia plena de sensibilidade que toca fundo na alma!!!E a imagem é perfeita!
    Beijos pra ti!!!!
    Tudo de bom!

    ResponderEliminar
  10. Também ou fã de Cecília Meireles. Desejo-lhe um feliz ano novo ,muita paz e amor de Jesus em seu coração. Um abraço.

    ResponderEliminar
  11. Fantástico Cecília e demaisssssss!!
    com carinho
    Hana

    ResponderEliminar
  12. Oi Maria, estou voltando e venho lhe agradecer o carinho e a companhia que sempre me dedicou.
    Que seu 2012 seja maravilhoso, cheio de realizações, paz e saúde!
    Lindo poema da Cecília, beijos com carinho!

    ResponderEliminar
  13. lindo poema maria parabens pelo belo postadoro cecilia meirelis adoro passear por seu blog me encontro sempre saio mais feliz um abraço meu carinho marlene

    ResponderEliminar
  14. *
    Basta-me um pequeno gesto,
    feito de longe e de leve,
    para que venhas comigo
    e eu para sempre te leve...
    ,
    in - Cecília Meireles
    ,

    *
    Amiga
    visito-te com amizade,
    carinho e respeito !
    ,
    Gostei do Post, parabéns ! !
    ,
    retornei e o meu regresso
    tem as asas da boa vaga
    esquecendo a onda amarga
    tão triste no seu quebrar,
    porém, é belo o seu trovar,
    ecos fortes e salgados,
    de Paz , “standarizada” !
    Paz nos meus votos sagrados,
    que aqui deixo, bem expresso !
    ,
    conchinhas, muitas, para ti !
    *

    ResponderEliminar
  15. Maria, Boa noite!
    Cecília Meireles, é sempre um prazer ler, e este poema nostálgico é como um marco a assinalar o outro lado da vida!

    Beijinho amigo,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  16. Maria, Boa noite!
    Cecília Meireles, é sempre um prazer ler, e este poema nostálgico é como um marco a assinalar o outro lado da vida!

    Beijinho amigo,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  17. olá querida Maria, 2012 chegou, que venha com lindas energias para nós né, brigada pelas visitas,bjus tere.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo