quinta-feira, 7 de junho de 2012

A maravilhosa Arte dos Ovos de Fabergé




O meu filho Pedro fez-me um pedido especial, ele gostava que eu fizesse um post sobre os ovos faberge.




Tinha visto umas fotografias e queria conhecer mais sobre estas extraordinárias peças de arte, pois achou-as muito bonitas.




Estes ovos são realmente magnificos, quer sejam os originais Fabergé quer as atuais peças que continuam a ser, verdadeiras obras de arte da joalharia.




Hoje vamos conhecer um pouco da história dos “Ovos Fabergé”.



Os ovos de Fabergé, foram confeccionados pela Casa de Fabergé por Peter Karl Fabergé e pelos seus assistentes entre 1885-1917, para os czares da Rússia.


1903 - Flores Primaveris ( Spring flowers)



Podiam ser feitos de prata, ouro e cobre ou de pedras encontradas na região, como o quartzo, jade e lápis-lázuli. Eram cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, de metais e pedras preciosas. No século XIX, poucas cores eram utilizadas e a esmaltação translúcida era uma técnica muito valorizada. Fabergé conseguiu criar mais 140 tonalidades.

1902 Kelch Rocaille



Os ovos escondiam surpresas em miniaturas e tornaram-se um símbolo de luxo, sendo considerados obras-primas da arte da joalharia.

1886 - Galinha com pendente de safira (Hen with Sapphire Pendant)


Os ovos mais famosos produzidos pela Casa Fabergé foram os ovos “Imperial”, feitos para Alexandre III e Nicolau II da Rússia. A maioria dos ovos eram em miniatura, para oferecer de presente na altura da Páscoa.


1887 Relógio da serpente azul (Blue Serpent Clock)


O joalheiro Peter Karl Fabergé (1846-1920) nasceu em São Petersburgo. O seu pai era joalheiro, e após os seus estudos, Karl Fabergé desloca-se para Frankfurt, onde trabalhou como aprendiz do joalheiro Friedmann.


1891 Memória de Azov (Memory of Azov)


Entre 1861 e 1865 Karl Fabergé estudou e treinou para ourives, tendo viajado pela Europa visitando museus em Londres, Paris, Florença e Dresden.


1893 Cáucaso (Caucasus)


1894 Renascimento (Renaissance)


Fabergé ficou fascinado por diferentes estilos artísticos, novos e antigos, combinando mais tarde nas suas criações esses estilos com elementos do Oriente e do Ocidente.


1895 Botão de rosa (Rosebud)


1895 Doze Monogramas (Twelve Monograms)


Em 1865 regressa para São Petersburgo e em 1870, com 24 anos, herdou o negócio de joias que seu pai tinha estabelecido em 1842. Casa em 1872 com Augusta Julia Jakobs nascendo do seu casamento três filhos, Evgeny (1874), Agathon ( 1876) e Aleksandr (1877).


1896 Miniaturas giratórias (Revolving Miniatures)


1897 Coroação (Imperial Coronation)



A sua excepcional habilidade, imaginação e criatividade estavam presentes logo na criação das suas primeiras obras o que chamou a atenção da nobreza local.


1898 Lirios do Vale (Lilies of the Valley)


Em 1882, Fabergé ganha uma medalha de ouro na Exposição Pan-russo e atrai a atenção do Czar Alexandre III.

1899 Relógio bouquet (Bouquet of Lilies Clock)


1899 Amores Perfeitos (Pansy)


O primeiro ovo Fabergé foi criado para o czar Alexandre III, que decidiu dar a sua esposa, a Imperatriz Maria Feodorovna, um Ovo de Páscoa em 1885, possivelmente para comemorar o 20 º aniversário de seu noivado. Acredita-se que a inspiração do czar para a peça era um ovo de propriedade da tia da Imperatriz, a princesa Wilhelmine Marie da Dinamarca, que cativou a imaginação de Maria na sua infância. Conhecido como o ovo de galinha, foi trabalhado em ouro e esmalte branco opaco, abria-se para revelar a sua primeira surpresa, uma gema de ouro dentro da qual existia por sua vez uma galinha de ouro multi-colorido que também se abria, contendo uma réplica de diamante da Coroa Imperial e um pequeno pingente de rubi. Infelizmente, estas duas últimas surpresas perderam-se.


1885 Galinha (Hen)


A Imperatriz Maria ficou tão encantado com este presente que Alexandre nomeou Fabergé "ourives por nomeação especial para a Coroa Imperial - o fornecedor da corte', tendo o Imperador encomendado um ovo por ano, sob a determinação de que este fosse único e contivesse uma surpresa.


1899 Twelve Panel Egg



1900 Galinho (Cockerel)


A Páscoa era uma altura importante na Rússia czarista. As pessoas cumprimentavam-se dizendo "Cristo ressuscitou", recebendo em resposta "Verdadeiramente, Ele ressuscitou", e todas as pessoas davam e recebiam presentes. Os ovos de Páscoa ficaram como o símbolo milenar de "Ressurreição", "Vida Nova" e "esperança".


1901 Palácio Gatchina (Gatchina Palace)


1901 Cesto de Flores Silvestres (Basket of Wild Flowers)



Depois deste primeiro ovo, foi dado (aparentemente) a Peter Carl Fabergé, total liberdade para a criação dos futuros Ovos Imperiais de Páscoa , os seus desenhos tornam-se cada vez mais elaborados.


1902 Folhas de trevo (Clover Leaf) 


Este foi o começo de uma tradição que continuou até â Revolução de Outubro de 1917.


1903 Pedro, o Grande (Peter the Great)


1903 Jubileo Dinamarquês (Royal Danish)


De acordo com a tradição da família Fabergé, nem mesmo o czar sabia que forma tomariam os ovos.


1906 Kremlin de Moscovo (Moscow Kremlin)


Após a morte de Alexandre III em 01 de novembro de 1894, o seu filho apresentou um ovo de Fabergé para a esposa, a imperatriz Alexandra Feodorovna, e à sua mãe, a Imperatriz Maria Feodorovna.


1907 Grinaldas de rosas (Cradle with Garlands)


Foram produzidos para os czares Alexandre III e Nicolau II Cinquenta ovos imperiais.


1908 Pavão (Peacock)



1908 Palácio de alexandre (Aleksandr Palace)


Assim que um tema era escolhido, uma equipa de artesãos entre os quais Michael Perkhin, Henrik Wigström e Erik August Kollin, começava a trabalhar no projeto. Os ovos imperiais usufruíram de tal fama que Fabergé chegou a fabricar vários, para clientes privados.


1910 Colunas (Colonnade)


Com um catálogo de sucessos atrás dele, esteve presente na "Exposition Universelle" em Paris em 1900, onde foi aclamado pelos ourives de França. Foi premiado com uma medalha de ouro e a cruz da Legião de Honra.


1911 Loureiro (Bay Tree)


Nenhum ovo foi feito entre 1904 e 1905 devido à da Guerra Russo-Japonesa.

1912 Napoleónico (Napoleonic)


1913 Tricentenário Romanov (Romanov Tercentenary)


Depois da revolução russa de 1917, Fabergé foi forçado a fechar a sua oficina e a fugir da Rússia. Estabeleceu-se na Suíça, tendo falecido em 1920, em Lausanne, com 74 anos de idade.


1913 Inverno (Winter)


Dos 69 ovos conhecidos, apenas 61 chegaram aos nossos dias. A grande maioria encontra-se em exposição nos museus públicos por todo o mundo, cerca de 30 encontram-se na Rússia. Dos 54 ovos imperiais conhecidos, sobreviveram 46.


Malachite Coach egg



Karl Fabergé usando antigas técnicas de ourivesaria já quase extintas, elevou as jóias para uma arte decorativa inigualável desde o Renascimento, tornou esta arte uma arte de excelência a um nível até então desconhecido. A Casa Fabergé está representada na França, Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e no Brasil.


1912 Czarevich



Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.atquid.com/viewArticle.php?article_id=78&title=Peter_Karl_Faberg_Jeweler_to_the_Czars; http://viola.bz/faberge-iii/; http://www.mieks.com/faberge-en/introduction3.htm; http://www.exquisiteandrare.com/faberge.html; http://www.girafamania.com.br/europeu/materia_russia-faberge.html; outros

1900 Transiberiano (Trans-Siberian Railway)





“A arte é a auto-expressão lutando para ser absoluta.” (Fernando Pessoa)

12 comentários:

  1. A arte nos fascina e os ovos de Fabergé tem um encanto especial pela história, tradição e sobretudo pela delicadeza e beleza das peças.Parabéns pelo post.Perfeito! Maravilhoso!!!!
    Amei.Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  2. Que maraviljoso teu post e ACHO LINDOS ESSES OVOS. nUNCA SOUBE DA SUA HISTÓRIA.aPRNAS ACHAVA BONITO,MAS NÃO PESQUISAVA. aDOREI VER AQUI! BEIJOS,CHICA

    ResponderEliminar
  3. Maria:
    Maravilhosos estes Ovos.
    Há uns anos, vi no Palácio das Necessidades, uma exposição de vários objectos, que teriam pertencido, aos últimos czar e czarina. Algumas jóias, entra as quais alguns dos belíssimos Ovos de Fabergé. Fiquei deslumbrada com a perfeição deles.
    Contam, que na última Páscoa das suas vidas, o czar, ofereceu um ovo feito por ele, em madeira, à czarina.
    Verdade, ou história, é comovente.
    Beijinho e obrigada, por estas imagens lindas.
    Maria

    ResponderEliminar
  4. Lindo, lindo, lindo de morrer! Obrigada por este tesouro.
    Minha Querida: Tenho andado cheia de trabalho, masa, em breve, colocarei um post.
    Um beijinho e bom feriado.

    ResponderEliminar
  5. Maria tu não existes!!!!!

    Minha querida isto é deslumbrante. Amei.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Maria

    Simplesmente fabuloso...adorei esta postagem cheia de beleza.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  7. Olá, Maria. Fabuloso Fabergé... iluminado. È pra tirar o fôlego tanta beleza! Delicadesa presente em cada peça. Maravilhosa obra de arte! Obrigada amiga. Bjos!

    ResponderEliminar
  8. Maria, que maravilha! Fiquei encantada com esta arte que não conhecia e com o seu trabalho de garimpagem.beijos e um ótimo final de semana para ti.bjs

    ResponderEliminar
  9. Querida amiga!
    Maravilhoso!Que perfeição nos detalhes!
    Bom fim de semana e beijos!

    ResponderEliminar
  10. Excelente post mais uma vez.
    Tatiana Febergè continua a assinar as peças produzidas, pela empresa.

    ResponderEliminar
  11. Cara amiga!
    Um excelente trabalho. Tive o gosto de ver algumas destas peças quando estive na Rússia e visitei os Museus e os palácios Imperiais. São de ficar de olhos em bico!!!
    Beijos. M. Emília

    ResponderEliminar
  12. Esta é uma arte que encanta os olhos... parabens foi a mais completa pesquisa sobre os ovos que ja observei...

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.