domingo, 10 de junho de 2012

Canção de outono - Poema de Mario Quintana




O outono toca realejo
No pátio da minha vida.
Velha canção, sempre a mesma,
Sob a vidraça descida...

Tristeza? Encanto? Desejo?
Como é possível sabê-lo?
Um gozo incerto e dorido
de carícia a contrapelo...

Partir, ó alma, que dizes?
Colher as horas, em suma...
mas os caminhos do Outono
Vão dar em parte alguma!

Mario Quintana



 

8 comentários:

  1. O poema é muito bonito e Quintana é um dos meus autores preferidos

    Um abraço e boas férias. Mesmo que sejam mini...

    ResponderEliminar
  2. Maria Querida, grande abraço...
    Gosto muito de Mário Quintana... O outono traz melancolia e reflexões! Ah, mas faz parte da vida e devemos gozá-lo com amor, aprendizado e alegria... VIVA todas as estações do ano e da vida!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Gosto sempre de ler Mário Quintana.

    Um bom resto de domingo.

    ResponderEliminar
  4. Lindo, Maria!
    Também gosto de ler Mário Quintana.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  5. Precioso poema.
    Saludos abrazos y buen fin de semana.

    ResponderEliminar
  6. muito lindo, caiu bem para o dia de hj!!! e a imagem muito linda, a epoca do ano mais linda depois da primavera... hehehe abraços

    ResponderEliminar
  7. Olá, Maria. Adoro Quintana! Belo poema de primavera. Um feliz final de tarde e ótima semana... Obrigada amiga pelo carinho e amizade. Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  8. Olá minha amiga!
    Sempre muito bom passar por aqui...
    Abraços
    Lhú Weiss

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo