terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Pedido - Poema de Miguel torga





Ama-me sempre, como à flor do lírio
Bravo e sozinho, a quem a gente quer
Mesmo já seco na recordação.
Ama-me sempre, cheia da certeza
De que, lírio que sou da natureza,
Na minha altura eu brotarei do chão.



Miguel Torga, in 'Diário (1943)'




23 comentários:

  1. Uma linda e sentida homenagem ao amor.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso poema! beijos praianos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Bom dia. Ofereço-me para ser a flor do lírio...
    .
    Soneto: * Amor ... ou castigo do coração? *
    .
    Desejando um dia muito feliz
    .

    ResponderEliminar
  4. Note-se o toque de humildade nestes versos tocantes!Bela escolha e partilha amiga Maria!
    Ainda é tempo de desejar-lhe um feliz 2018.

    Bjss paraibanos!

    ResponderEliminar
  5. As suas composições de imagens têm alguma coisa distraída.
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Um poema do meu saudoso filho da terra, Adolfo Correia da Rocha, vim correndo para o ler, Coimbra e quem gosta de poesia no resto do mundo não o esquecerá nunca.

    Deixo o meu abraço.

    ResponderEliminar
  7. Tão bonito! Amei :)

    Beijo e um excelente dia.

    ResponderEliminar
  8. Amiga que lindo poema do Miguel Torga, boa escolha e amei a imagem! Parabéns pela bela postagem. Grata pela visita, seja sempre bem vinda! Abraços

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria Rodrigues!

    Lindo! Estas poesias fazes um bem pra alma de gente!

    Abraços, Iris

    ResponderEliminar
  10. Primaveril a poesia e bela a sua escolha!!!bj

    A Aldeia do Xisto de Gondramaz
    distingue-se pela tonalidade específica
    do xisto que nos envolve da cabeça aos pés:
    https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/olhares-de-gondramaz.html

    Gosta de goiabada e queijo!? … há uma sugestão aqui:
    https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/sabores-queijo-e-goiaba.html

    Para os poetas e poetisas … um poema que se gosta de ler:
    https://mgpl1957.blogspot.pt/2018/01/da-minha-aldeia-alberto-caeiro.html

    E uma sugestão para costurar e bordar … aqui:
    https://asarteiricesdagracinha.blogspot.pt/2018/01/costurando-emocoes.html

    ResponderEliminar
  11. Hello Maria,
    Nice words with a beautiful image.

    Greetings, Marco

    ResponderEliminar
  12. O eterno brotar do amor revelado em tocante poema! Belo!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Maravilhoso ,muitos beijinhos felicidades querida amiga

    ResponderEliminar
  14. Preciosas palabras de una poesía dedi ada al Amor.

    Besos

    ResponderEliminar
  15. Um poema bonito e profundo. O Lírio é uma das mais lindas flores! Simples e majestosa!...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  16. Lindíssimo este poema de Torga que adorei descobrir, por aqui!...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.