quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Diante do Mar - Poema de Alfonsina Storni




Diante do Mar



Oh, mar, enorme mar, coração feroz
de ritmo desigual, coração mau,
eu sou mais tenra que esse pobre pau
que, prisioneiro, apodrece nas tuas vagas.

Oh, mar, dá-me a tua cólera tremenda,
eu passei a vida a perdoar,
porque entendia, mar, eu me fui dando:
“Piedade, piedade para o que mais ofenda”.

Vulgaridade, vulgaridade que me acossa.
Ah, compraram-me a cidade e o homem.
Faz-me ter a tua cólera sem nome:
já me cansa esta missão de rosa.

Vês o vulgar? Esse vulgar faz-me pena,
falta-me o ar e onde falta fico.
Quem me dera não compreender, mas não posso:
é a vulgaridade que me envenena.

Empobreci porque entender aflige,
empobreci porque entender sufoca,
abençoada seja a força da rocha!
Eu tenho o coração como a espuma.

Mar, eu sonhava ser como tu és,
além nas tardes em que a minha vida
sob as horas cálidas se abria…
Ah, eu sonhava ser como tu és.

Olha para mim, aqui, pequena, miserável,
com toda a dor que me vence, com o sonho todos;
mar, dá-me, dá-me o inefável empenho
de tornar-me soberba, inacessível.

Dá-me o teu sal, o teu iodo, a tua ferocidade,
Ar do mar!… Oh, tempestade! Oh, enfado!
Pobre de mim, sou um recife
E morro, mar, sucumbo na minha pobreza.

E a minha alma é como o mar, é isso,
ah, a cidade apodrece-a engana-a;
pequena vida que dor provoca,
quem me dera libertar-me do seu peso!

Que voe o meu empenho, que voe a minha esperança…
A minha vida deve ter sido horrível,
deve ter sido uma artéria incontível
e é apenas cicatriz que sempre dói.

Alfonsina Storni

16 comentários:

  1. Ola, querida amiga Maria!
    O mar tem me inspirado muito e me feito relaxar...
    Sobre o poema e um balsamo ler um desse porte e beleza...
    Seja muito feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderEliminar
  2. O mar sempre inspirou os poetas.
    Está aqui um belíssimo exemplo dessa realidade.
    Beijinhos, bfds

    ResponderEliminar
  3. Um Fascínio de poema! AMEI

    Adoro o novo look :)


    Beijos e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Alfonsina Storni? Não conhecia.
    Obrigado pela partilha.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Não conhecia ,mas é certamente muito belo e cativante do princípio ao fim ,muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
  6. Passando pra te desejar um feliz 2018 amiga Maria!
    Nunca havia lido a autora, poema lindamente inspirado!
    Bjss!

    ResponderEliminar
  7. Simplesmente lindo :))


    -
    Do Gil António, que se encontra doente, motivo porque não vos visito. Pedimos a compreensão: Hoje:- Luz no teu quarto ...Tentação do meu olhar
    .
    Bjos
    Resto de uma boa noite

    ResponderEliminar
  8. Uma inspiração tão abundante quanto o mar... Poema energizante!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria
    Que linda poesia
    Fiquei encantada
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  10. Que bonito poema
    http://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. Preciosas palabras.Me gustaría poder estar ahora delante del mar. Me encanta para Maria.
    Khalil Gibran decía "Debe haber algo extrañamente sagrado en la sal. Está en nuestras lágrimas y en el mar"
    Buen fin de semama.
    Besos.

    ResponderEliminar
  12. Que delícia de poesia.
    Parabéns pelo momento de criação.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  13. Um poema emocionante e intenso, de uma autora que desconhecia!...
    Mais uma bela descoberta, por aqui...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo