sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Os dois Horizontes - Poema de Machado de Assis





Dois horizontes fecham nossa vida:

          Um horizonte, — a saudade
          Do que não há de voltar;
          Outro horizonte, — a esperança
          Dos tempos que hão de chegar;
          No presente, — sempre escuro,—
          Vive a alma ambiciosa
          Na ilusão voluptuosa
          Do passado e do futuro.

          Os doces brincos da infância
          Sob as asas maternais,
          O vôo das andorinhas,
          A onda viva e os rosais;
          O gozo do amor, sonhado
          Num olhar profundo e ardente,
          Tal é na hora presente
          O horizonte do passado.

          Ou ambição de grandeza
          Que no espírito calou,
          Desejo de amor sincero
          Que o coração não gozou;
          Ou um viver calmo e puro
          À alma convalescente,
          Tal é na hora presente
          O horizonte do futuro.

          No breve correr dos dias
          Sob o azul do céu, — tais são
          Limites no mar da vida:
          Saudade ou aspiração;
          Ao nosso espírito ardente,
          Na avidez do bem sonhado,
          Nunca o presente é passado,
          Nunca o futuro é presente.

          Que cismas, homem? – Perdido
          No mar das recordações,
          Escuto um eco sentido
          Das passadas ilusões.
          Que buscas, homem? – Procuro,
          Através da imensidade,
          Ler a doce realidade
          Das ilusões do futuro.
         
          Dois horizontes fecham nossa vida.


Machado de Assis, in 'Crisálidas'


20 comentários:

  1. Eu amo os poemas de Machado de Assis, acho incrível. Me emociono porque faz refletir. É o maior nome na literatura brasileira, um grande referencial. Estou seguindo seu blog! Bjss

    www.historiasdaiza.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Saudades de passado e saudades do futuro.
    Um sentimento tão português.
    Bfds

    ResponderEliminar
  3. Feliz e alegre ano novo, Maria!
    Belo poema e fotos!
    Bom fim de semana, desejo-lhe!
    Eu te beijo, imploro e obrigado pela visita!

    ResponderEliminar
  4. Um poema extremamente belo.
    Adorei Maria Rodrigues.
    Aqui recomeço voltando aos poucos.
    Bjs,obrigada pela visita e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  5. Somente um poeta pode escrever tão entusiasto
    Abraços

    ResponderEliminar
  6. Um grande poema de um grande escritor.
    Amiga Maria, um bom fim de semana. E um Bom Ano.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Linda escolha amiga Maria, adoro ler Machado de Assis!
    Tenhas um lindo ano novo junto com os seus entes queridos!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  8. Que rico poema. Profundamente lindo!

    Beijos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  9. Muito lindo!
    Um abraço e um ano maravilhoso pra você.
    Bjus

    ResponderEliminar
  10. Não conhecia este poema e gostei muito.
    Uma belíssima partilha!
    Bom ano!
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  11. Que lindo poema deste grande autor!
    Beijinho e um grande ano de 2018!
    Joana

    ResponderEliminar
  12. Amei <33
    Parabéns pelo blog, já estou seguindo para poder acompanhar as novidades

    www.papomoleca.com.br

    ResponderEliminar
  13. Olá, Maria

    Gostei muito de encontrar aqui Machado de Assis.
    Li o seu poema com muito prazer.
    Muito obrigada. Bom fim de semana.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  14. Maria a sua escolha é magnífica!
    Adorei ler!!!
    ...
    Ontem mostrei um belíssimo conjunto megalítico:
    https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/conjunto-escultorico-megalitico.html

    Hoje … e para comemorar o Dia de Reis … uma partilha gostosa:
    https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/bolo-rei.html

    Especialmente para si … um belo de um fim de semana!!!

    ResponderEliminar
  15. Riquíssima partilha querida amiga ,muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
  16. Bela escolha de Machado, acho lindo este.
    Valeu Maria a releitura aqui.
    Um abração amiga.
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Um poema tão belo, quanto profundo...
    Mais uma escolha maravilhosa, que nos oferece, Maria!...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo