sábado, 18 de fevereiro de 2012

A Inocência das crianças



QUATRO PEQUENAS HISTÓRIAS DE CRIANÇAS

O autor e conferencista Leo Buscaglia certa ocasião falou de um concurso em que tinha sido convidado como jurado.

O objectivo era escolher a criança mais cuidadosa.

Eis alguns dos vencedores:

Um menino de 4 anos tinha um vizinho idoso cuja esposa havia falecido recentemente.
Ao vê-lo chorar, o menino foi para o quintal dele e sentou-se simplesmente no seu colo.
Quando a mãe lhe perguntou o que tinha dito ao velhinho, ele respondeu:
- Nada. Só o ajudei a chorar.




Os alunos da professora do primeiro ano Debbie Moon estavam a examinar uma foto de família.
Uma das crianças da foto tinha os cabelos de cor bem diferente dos outros. Alguém sugeriu que essa criança tivesse sido adotada.
Logo uma menina disse:
- Sei tudo sobre adopção, porque eu fui adoptada.
Logo outro aluno lhe perguntou:
- O que significa "ser adoptado"?
- Significa - disse a menina - que tu cresceste no coração da tua mãe, e não na barriga!




Sempre que estou decepcionado com meu lugar na vida, eu paro e penso no pequeno Jamie Scott.
Jamie queria muito ter um papel na peça da escola. A mãe disse que tinha procurado preparar o seu coração, pois ela temia que ele não fosse escolhido. No dia em que os papéis foram distribuídos, eu fui com ela buscá-lo à escola. Jamie correu para a mãe, com os olhos brilhantes de orgulho e emoção:
- Adivinha, mãe!
E disse aquelas palavras que continuariam a ser uma lição para mim:
- Eu fui escolhido para bater palmas e espalhar a alegria!




Conta uma testemunha ocular de Nova York:
Num frio dia de Dezembro, alguns anos atrás, um rapazinho de cerca de 10 anos, descalço, estava em pé em frente a uma loja de sapatos, olhando a montra e tremendo de frio.
Uma senhora aproximou-se do rapaz e disse:
- Você está com pensamento tão profundo, a olhar essa montra!
- Eu estava pedindo a Deus para me dar um par de sapatos - respondeu o garoto...
A senhora tomou-o pela mão, entrou na loja e pediu ao empregado para dar meia duzia de pares de meias ao menino. Ela também perguntou se poderia conseguir-lhe uma bacia com água e uma toalha. O empregado atendeu-a rapidamente e ela levou o menino para a parte detrás da loja e, ajoelhando-se lavou os seus pés pequenos e secou-os com a toalha.
Nesse meio tempo, o empregado havia trazido as meias. Ela calçou-as nos pés do garoto e também comprou-lhe um par de sapatos.
Depois entregou-lhe os outros pares de meias e carinhosamente disse-lhe:
- Estás mais confortável agora.
Como ela se virou para ir embora, o menino segurou-lhe na mão, olhou o seu rosto com lágrimas nos olhos e perguntou:
- Você é a mulher de Deus?



Fonte: net

"Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a." (Johann Goethe)

26 comentários:

  1. Grandes SABEDORIAS, na inocência das crianças.

    Pedro Bloch, um Teatrólogo brasileiro, há muito falecido, era também Médico Pediatra. Além de escrever peças tatrais (excelentes) escreveu também um livro cujo título era: "Criança diz cada coisa!". Esse livro, era todo um registro do que ele ouvira das crianças que atendia em seu consultório.

    Gostei muito da postagem, Maria, fez-me lembrar o escritor médico de crianças...

    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  2. bom dia minha querida amiga as suas posts de hoje nem precisam de comentários tal a beleza das histórias nesta inocencia linda das crianças
    pois o amor se sobre-sai em cada uma á seu modo todo especial que estes anjos teem de nos encantar e surpriender um grande abraço com carinho bjs marlene

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Amiga
    Vim lhe desejar um bom Carnaval, coberto de muito paz e alegria.
    abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Maria!! Lindo o seu post... já te falei que sou enfermeira? e que trabalho em uma UTI neonatal? nossa maior recompensa é quando nossas crianças conseguem sobreviver e seus pais os levam para casa... muitas vezes eles vão embora morar com o Papai do Céu e isso nos deixa triste, mas isso também faz parte da vida.
    beijão

    ResponderEliminar
  5. Minha amiga que delicia esses contos para alegrar nossa manhã. Deveríamos sim mantermos crianças pela simplicidade do coração mas é tão difícil, apenas somos iguais quando choramos dá vontade de fazer buáaaaaaaa. Bjim, vc é uma mulher abençoada por Deus. Te adoro....

    ResponderEliminar
  6. Oi Maria,

    absolutamente maravilhoso este seu post.

    Grandes lições brotam da inocência.

    Beijos, Maria!

    ResponderEliminar
  7. Este tema é será sempre um tema maravilhoso porque não há melhor do que as crianças e a sua inocência e pureza.

    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderEliminar
  8. Olá,querida
    Ajudar a chorar... a espalhar alegria... ajudar sempre!!!
    Bjm de paz e alegria

    ResponderEliminar
  9. Que lindo Maria!!!fiquei emocionada com estya postagem,gostei muito.Tenha um lindo fim de semana,abraçosss.

    ResponderEliminar
  10. Olá Querida Amiga Maria,

    Lindíssimos estas histórias simples e maravilhosas de crianças, paracrianças e adultos.

    Muitos patabéns pelo bom gosto e sensibilidade.

    Tamb´m venho agradecer o seu comentário postado sobre o poema da Isabel.

    Infelizmente a mãe da Isabel está bastante mal, devido aos seus quase noventa anos; à sua praticamente demência senile ao facto de ter pedido o andar.

    Mas vamos todos resistindo.

    Em sua homenagem, ao seu bom gosto e sensibilidade aqui lhe deixoeste poema, que nem sequer sei o que vai sair. Assim:

    Vive um ser no nosso interior
    Oculto, calado e e sempre alerta
    É a tal criança Ser Superior
    Que deixa sempre a porta aberta

    É viva, simples como água a correr
    Transporta consigo toda a eternidade
    Num piscar de olhos está pronta a SER
    Um fragmento da própria vida: A Verdade

    Mas a hipocrisia está sempre espreitando
    Aos poucos vai modificando, insidiosa
    Programa os factos e vai nos condicionando
    E aos poucos sem sabemos cheirar uma rosa

    E pensamos que estamos todos muito bem
    Nesta morte lenta tão bem embrulhada
    No quentinho da mais ignóbil sabe tão bem
    E sem sabermos temos a vida toda atada

    Às vezes abrimos os olhos tendo a sensação
    Que não vivemos mas apenas fingimos viver
    Pois dá-nos um tremendo aperto no coração
    E nessa altura já não encontramos nosso SER

    Mas a inocência está lá! Fala e não ouvimos
    Aponta caminhos rumo à intemporalidade
    Tão fatigados estamos já nem a sentimos
    Nem sabemos aquela idade de não ter idade

    Mas, por vezes, ouvimos a sua fraca voz
    Como um chamamento lançado ao Universo
    E acordamos! Dizemos, SIM, aqui vamos nós
    Pois somos do Mundo o verso e o reverso

    Um bom fim de semana.

    Um abraço

    José António

    ResponderEliminar
  11. Olá minha amiga Maria, como você está em Lisboa, passou aquele frio horrível? Aqui morremos de calor. Seu Blog sempre lindo e muito bem feito com o capricho peculiar que só você tem.
    Obrigado pela linda visita. Um maravilhoso domingo, seu amigo ZC

    ResponderEliminar
  12. MARIA, emocionantes relatos e imagens muito lindas.

    Abraços

    ResponderEliminar
  13. Estive relendo e meditando para escolher uma.....
    e acabei por ficar com todas...Escolha impossível.
    Bom Fim de Semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Querida Maria, que belas histórias que se os adultos seguissem alguns exemplos era tão bom. Grandes lições de vida para quem pensa que tudo sabe. Amei demais. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  15. Minha querida

    Lindo como sempre...histórias emocionantes que fiquei sem palavras para comentar.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  16. Umas histórias deliciosas e comoventes. Gostei imenso de as ler.
    Desejo-lhe muita paz e alegria na sua vida.
    Um abraço da Maria Emília.

    ResponderEliminar
  17. Doce e Amada Fraterna Amiga Nossa:

    Lindo e profundo post último seu, acerca de post nosso,nos marcou para sempre,Maria caríssima essa tragédia inominável.
    Compartilhar com você nessa da vida internet, é uma alegria constante!

    Bzuz carismáticos nossos em teu cuore!

    Regina e Ricardo

    ResponderEliminar
  18. MARIA QUERIDA E FRATERNALMENTE AMADA,POST TEU LINDO E DE UMA DELICADEZA ÍMPAR, NOS FEZ PESSOAS MELHORES NO SENTIR,NESSA VIGÍLIA ISOLAMENTO DURANTE O CARNAVAL,QUANTO AO POST ÚLTIMO DE BLOG NOSSO,TRAGÉDIA ESSA TEMATIZADA NOS É UMA CHAGA INDELÉVEL!

    bZUZ CARISMÁTICOS EM CUORE TUO!

    VIVA LA VIDA

    REGINA E RICARDO

    ResponderEliminar
  19. Maria minha querida
    Que posso eu dizer perante tal beleza!

    Amei por e simplesmente.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  20. Encantadoras e emocionantes histórias Maria!
    Bom fim de semana
    Bjs

    ResponderEliminar
  21. Pelo Natal postei uma história de crianças que me chegou por email e que era também uma história de amor e inocência. Estas eu não conhecia e são maravilhosas como só as crianças sabem ser.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  22. Olá, Maria. Amei o post! Belo amiga. Maria espero que vc tenha lido um dos livros de Léo Buscaglia que é: Vivendo, Amando e Aprendendo. È lindo amiga! Desejo um bom fim de semana com paz e luz. Bjos.

    ResponderEliminar
  23. A beleza das crianças deveriam servir-nos de lição todos os dias. Belas histórias amiga.
    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  24. Maria amiga:
    A pureza e bondade das crianças, ajuda-me a crer que o Mundo, poderá ser melhor.
    Porque alguns se tornam maus? Por falta de amor dos crescidos? Porque a idade endurece?
    Ai Maria, como gostava de viver num mundo só de crianças!
    Não gosto do mundo adulto. Este mundo sujo, mau, que vive em função do dinheiro, não gosto dele.
    Por isso não gosto de estar no meio de muita gente.
    Aqui, no seu blogue, sinto-me bem. Dá-me calma.
    Obrigada querida.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  25. Lindo d+, inocência de criança.É disso q precisamos pra olhar o mundo como nos deveriamos olhar.
    Bom restinho de feriado.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.