segunda-feira, 25 de julho de 2011

Curiosidades - "Elysia chlorotica" - Lesma marinha que faz fotossíntese


Estamos sempre a aprender e os filhos são uma grande fonte de informações. Hoje deixo aqui uma CURIOSIDADE que se encontrava no livro de ciências do meu filho Pedro e que o deixou bem admirado, vindo partilhar comigo e pedindo para eu falar aqui no meu cantinho.

A Lesma marinha que faz fotossíntese - "Elysia chlorotica"


A Elysia chlorotica "Green Animal", é uma pequena lesma marinha hermafrodita verde escura, com 3 cm de comprimento que parece uma folha de árvore e consegue uma proeza até hoje desconhecida na Natureza entre os seres do reino Animal que é fazer fotossíntese.

Distribuição
A Elysia chlorotica pode ser encontrada ao longo da costa leste dos Estados Unidos e em algumas partes da Nova Escócia e do Canadá, em regiões de pântano.

Alimentação
Elysia chlorotica alimenta-se de algas Vaucheria litorea. A lesma, mantém a alga firme na sua boca e suga o conteúdo das células da alga. Ela armazena os cloroplastos - organitos celulares de cor verde ricos em clorofila que permitem às células das plantas converter a luz solar em energia - nas células do seu ramificado intestino, que se prolonga por todo o corpo, onde permanecem funcionais.

A incorporação dos cloroplastos dentro das células de chlorotica Elysia permite a lesma realizar a fotossíntese.


A Elysia chlorotica pode sobreviver aproximadamente nove meses com os açúcares produzidos através da fotossíntese realizada pelos seus próprios cloroplastos, o que é altamente benéfico durante os períodos de tempo em que as algas não estão disponíveis em quantidade suficiente.

A aquisição dos cloroplastos por meio da alimentação é logo após a metamorfose.

Lesmas juvenis apresentam coloração marrom com manchas vermelhas até que alimentam de algas, altura em que eles ficam verdes.


Este ser fantástico foi descoberto por uma equipa de investigadores de Universidades Norte-Americanas e da Coreia do Sul. A equipa é liderada por Mary Rumpho-Kennedy, professora de bioquímica e investigadora na Universidade de Maine.

O artigo sobre esta extraordinária descoberta foi publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Fonte: wikipedia; http://divulgarciencia.com/categoria/elysia-chlorotica/; outros
Poderá ler o artigo no site original da notícia em: PNAS (Proceedings of the National Academy Sciences)


3 comentários:

  1. Obrigado ao Pedro, por ser o responsável por
    esta lição, pois não sabia nada disto.
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Muito interessante! Eu também não conhecia.
    obrigada por compartilhar.
    Beijo,
    Mara

    ResponderEliminar
  3. Só mesmo você, Maria, para tornar as lesmas interessantes e tão bonitas. Dá até vontade de adotá-las como bichinhos de estimação
    TERESINHA OLIVEIRA

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.