Páginas

segunda-feira, 5 de março de 2018

14 Soneto - Alphonsus de Guimaraens





Deus é a luz celestial que os astros unge e veste,
E dessa eterna luz nós todos fomos feitos.
Um fulgor de orações brilha nos nossos peitos:
É o reflexo estelar dessa origem celeste.

O homem mais louco e vil, cuja alma ímpia se creste
Aos fogos infernais dos mais torpes defeitos,
De vez em quando sente esplendores eleitos,
Que tombam nele como o luar sobre um cipreste.

Quem não sentiu no peito a carícia divina,
A enchê-lo de clarões na transparência hialina
De um astro que cintila em pleno azul sem véus?

Tudo é luz na nossa alma, e o mais vil, o mais louco,
Bem sabe que esta vida é um sol que dura pouco
E que Deus vive em nós como dentro dos céus...



Alphonsus de Guimaraens



14 comentários:

  1. Este não deve ser um cretino que adopta um nome falso para comentar no meu blogue cada vez que o Trump é tema.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  2. ¡Hola María!

    Gracias por darme la oportunita de leer este bellísimo Soneto.
    Jo!... Que preciosidad, amiga.
    ¡Mi enhorabuena al autor! No tengo el gusto de conocerle, mas siento que debe ser un bárbaro intelecto.

    Ha sido un inmenso placer pasar por esta tu casa.
    Un abrazo y ten una feliz semana.

    ResponderEliminar
  3. Que soneto mais lindo, amei :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde!!
    Bonito poema! Obrigada pela partilha! :)

    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  5. Gostei deste poema de Alphonsus de Guimaraens. Desconhecia o autor, mas é muito profundo o que escreve.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Oi maria,
    Que poema lindo! Não conhecia.
    Bjs

    ResponderEliminar

  7. Um soneto com muitas reflexões... Deus é Deus e Ele age sempre perfeitamente!
    Um abração e boa semana...

    ResponderEliminar
  8. Belissimo soneto!

    Convidamos a ler o capítulo III do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"

    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/03/voar-sem-asas-capitulo-iii.html

    Saudações literárias

    ResponderEliminar
  9. Serão precisas palavras elogiosas? Creio que não. Tão belo como grande é o meu respeito pela intensidade das palavras e versos que o compõem.
    .
    Querendo, confira:
    "" Luar e o amor ... Incoerência em harmonia perfeita. ""
    .
    Abraço de amizade

    ResponderEliminar
  10. Não conhecia este soneto, incrivelmente bem escrito, muito embora eu tenha lido pouca poesia deste poeta brasileiro.
    Mais uma belíssima escolha.
    Boa semana, amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Que Deus cuide e ilumine sempre a nossa vida ,maravilhosa partilha querida amiga ,desejo-lhe uma semana muito abençoada ,beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Maravilhoso soneto. Magistral em palavras e versos poéticos.
    .
    * Chuva que acalma CORAÇÕES … secos pela desventura *
    .
    Cumprimentos poéticos
    Votos de um dia feliz

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.