segunda-feira, 26 de março de 2018

Pretexto - Maria Alberta Menerés




Por que não cai a noite, de uma vez?
— Custa viver assim aos encontrões!
Já sei de cor os passos que me cercam,
o silêncio que pede pelas ruas,
e o desenho de todos os portões.

Por que não cai a noite, de uma vez?
— Irritam-me estas horas penduradas
como frutos maduros que não tombam.

(E dentro em mim, ninguém vem desfazer
o novelo das tardes enroladas.)


Maria Alberta Rovisco Garcia Menéres de Melo e Castro



16 comentários:

  1. Hello dear Maria!
    Such a beautiful poem and lovely images and lyrics!
    I really enjoyed your pictures with the Spring blooms!
    Wishing you a lovely new week!
    Dimi...

    ResponderEliminar
  2. Maria, que linda postagem para o início da semana.
    Não conhecia o lado poético de Maria Alberta Menéres.
    Gostei muito do poema.
    E das fotos, belíssimas! Onde arranjas tu tanta coisa linda?!
    Beijo, amiga e boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia!
    Maravilhosa escolha!! Amei!!

    Beijo e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  4. Quem já não sentiu a vida assim? Maria Alberta Menéres, uma grande escritora. Foi bom encontra-la aqui.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Há muito que não lia nenhuma poesia desta poetisa e adorei!!!bj

    ResponderEliminar
  6. Tão bonito este poema e está magnificamente adornado com as imagens.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  7. Olá!!
    É sempre bom ler poesia portuguesa!!!
    Boa partilha e já agora uma boa Páscoa!!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  8. Oi Maria,
    O poema é maravilhoso! Não conhecia!
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Belo poema para início desta SEmana Santa, que lhe desjo muito boa.

    Beijinhosssss

    ResponderEliminar
  10. Mas a noite virá... será que o silêncio será mais acolhedor do que as horas penduradas ou tornará tudo mais pesado?
    Não sei... há dias em que tudo fica negro...
    Obrigada pela visita e pela partilha deste poema da Maria Alberta que não conhecia.
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  11. Um bonito e profundo poema! Um rasgo do coração...
    Abração

    ResponderEliminar
  12. Um entardecer melancólico... brilhantemente traduzido nas palavras desta grande poetisa!
    Adorei ler!...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo