domingo, 15 de agosto de 2010

Jardins Ingleses




Os ingleses, apesar do clima por vezes bem rigoroso, adoram os seus jardins e orgulham-se dos mesmos. Os jardins ingleses são conhecidos em todo o mundo pela sua beleza e tranquilidade.



O jardim inglês ou jardim à inglesa, é um tipo de jardim desenvolvido durante o século XVIII, ao contrário dos jardins geométricos ao estilo francês ou italiano, concebidos por arquitectos.




O principio destes jardins é o de esconder a arte tanto quanto possível. Pois apenas assim a natureza é perfeitamente bela, em outras palavras, mostra com grande distinção a objectivação da vontade de viver que é ainda sem conhecimento.



O Jardim Inglês é considerado como uma revolução, um manifesto contra os padrões rígidos e simétricos de outros estilos. Ele valoriza a paisagem natural, com formas curvas e arredondadas tanto no relevo, como nos caminhos e na construção dos maciços e bosques. Neste estilo é fundamental a utilização de extensos relvados, com amplas alamedas. O parque não pode ser totalmente plano e as ondulações do terreno devem ser valorizadas. Formas geométricas ou rectas não são permitidas.

As árvores e arbustos são muitas vezes dispostas de acordo com o porte e a coloração, o que não impede a mistura ou a utilização isolada. As plantas floríferas e perfumadas de pequeno porte podem compor grandes e sinuosos maciços no meio do relvado. Plantas que exigem muita manutenção e reformas, assim como arbustos topiados são proibidos.



Outros componentes são bem vindos neste jardim, acrescentando charme e naturalidade, como árvores mortas, rochedos e pequenas colinas, construção de ruínas, clareiras, lagos, riachos, quiosques, etc. Devemos ter a sensação de andar por um bosque antigo e natural, com pouca ou nenhuma intervenção do homem.




Ao falar dos jardins ingleses é forçoso falar dos Jardins Botânicos Reais de Kew, um dos mais extensos, antigos e prestigiosos jardins botânicos do mundo. Ficam situados num vasto parque localizado entre Kew e Richmond upon Thames, na periferia sudoeste de Londres.

Os Kew Gardens, como em geral são conhecidos, constituem um grande complexo de jardins, arvoredos e estufas, sendo um centro de excelência na investigação botânica e um afamado centro de formação profissional em jardinagem.


Fontes: “jardineiro.net” ; “jardimdeflores.com”; wikipedia; outros.
Fotos: Net




“O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.”(Mário Quintana)

4 comentários:

  1. Olá Maria.
    Espantosos os jardins. É assim que eu os conheço dos filmes. Conheço Londres, mas na cidade não há esta doçura. Parecem jardins de contos de fadas.
    Bjnhos e tudo de bom.
    alice

    ResponderEliminar
  2. *
    Recordei os Jardins da Irlanda,
    Dublin tem tres, grandes, gigantes,
    um deles é maior do que a Cidade,
    e é ver, a maioria da mulheres,
    com um filho pela mão, outro no
    carrinho de Bébé e um já a caminho,
    num colo saliente, que faz a alegria
    de um povo, sabendo de antemão, que
    é a unica forma de recuperarem dos
    assassinatos em massa, sofridos
    pelas espadas dos anglicanos !
    ,
    conchinhas floridas, deixo,
    ,
    *
    sa

    ResponderEliminar
  3. Maria os jardins são belíssimos e suas postagens mostram sua sensibilidade que consegue captar tudo isso e compartilhar conosco. bjs, Eliete

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo