sábado, 3 de outubro de 2015

Crepúsculo de Outono




O crepúsculo cai, manso como uma bênção.
Dir-se-á que o rio chora a prisão de seu leito...
As grandes mãos da sombra evangélicas pensam
As feridas que a vida abriu em cada peito. 

O outono amarelece e despoja os lariços.
Um corvo passa e grasna, e deixa esparso no ar
O terror augural de encantos e feitiços.
As flores morrem.  Toda a relva entra a murchar. 

Os pinheiros porém viçam, e serão breve
Todo o verde que a vista espairecendo vejas,
Mais negros sobre a alvura inânime da neve,
Altos e espirituais como flechas de igrejas. 

Um sino plange. A sua voz ritma o murmúrio
Do rio, e isso parece a voz da solidão.
E essa voz enche o vale... o horizonte purpúreo...
Consoladora como um divino perdão. 

O sol fundiu a neve. A folhagem vermelha
Reponta. Apenas há, nos barrancos retortos,
Flocos, que a luz do poente extática semelha
A um rebanho infeliz de cordeirinhos mortos. 

A sombra casa os sons numa grave harmonia.
E tamanha esperança e uma tão grande paz
Avultam do clarão que cinge a serrania,
Como se houvesse aurora e o mar cantando atrás.


Manuel Bandeira

7 comentários:

  1. Ah! Maria, vir aqui, o que já é um imenso prazer, e saborear Bandeira...
    era o que mais precisava, nesse final de noite do começo de um final de semana: obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Olá amiga suas escolhas são sempre maravilhosas. Este poeta tirou um pouco da minha timidez, pois quando era estudante a professora da língua portuguesa me fazia recitar seus versos em público, , visto que eu era uma concha! Na época eu o odiava, assim como a todos e quaisquer poetas, hoje eu amo poesia e não sou mais tímida em falar em público.
    mil beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  3. Nada como começar o dia lendo tão belo momento ,desejo-lhe um fim de semana cheio de felicidade ,beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Maria Rodrigues

    Excelente poema!!
    Amei

    Bom sábado
    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Olá, querida Maria
    Que o Outono lhe seja favorável!
    Bjm fraterno

    ResponderEliminar
  6. ...belas palavras sobre o outono...para mim, a estação de explosão de cores e sentidos...
    Beijo, Maria!

    ResponderEliminar
  7. Belíssimo poema!... O outono da estação... e da própria vida, nas palavras de Manuel Bandeira...
    Gostei imenso!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.