domingo, 15 de agosto de 2010

Jardins Ingleses




Os ingleses, apesar do clima por vezes bem rigoroso, adoram os seus jardins e orgulham-se dos mesmos. Os jardins ingleses são conhecidos em todo o mundo pela sua beleza e tranquilidade.



O jardim inglês ou jardim à inglesa, é um tipo de jardim desenvolvido durante o século XVIII, ao contrário dos jardins geométricos ao estilo francês ou italiano, concebidos por arquitectos.





O principio destes jardins é o de esconder a arte tanto quanto possível. Pois apenas assim a natureza é perfeitamente bela, em outras palavras, mostra com grande distinção a objectivação da vontade de viver que é ainda sem conhecimento.



O Jardim Inglês é considerado como uma revolução, um manifesto contra os padrões rígidos e simétricos de outros estilos. Ele valoriza a paisagem natural, com formas curvas e arredondadas tanto no relevo, como nos caminhos e na construção dos maciços e bosques.



Neste estilo é fundamental a utilização de extensos relvados, com amplas alamedas. O parque não pode ser totalmente plano e as ondulações do terreno devem ser valorizadas. Formas geométricas ou rectas não são permitidas.



As árvores e arbustos são muitas vezes dispostas de acordo com o porte e a coloração, o que não impede a mistura ou a utilização isolada. As plantas floríferas e perfumadas de pequeno porte podem compor grandes e sinuosos maciços no meio do relvado. Plantas que exigem muita manutenção e reformas, assim como arbustos topiados são proibidos.



Outros componentes são bem vindos neste jardim, acrescentando charme e naturalidade, como árvores mortas, rochedos e pequenas colinas, construção de ruínas, clareiras, lagos, riachos, quiosques, etc.




Devemos ter a sensação de andar por um bosque antigo e natural, com pouca ou nenhuma intervenção do homem.




Ao falar dos jardins ingleses é forçoso falar dos Jardins Botânicos Reais de Kew, um dos mais extensos, antigos e prestigiosos jardins botânicos do mundo. Ficam situados num vasto parque localizado entre Kew e Richmond upon Thames, na periferia sudoeste de Londres.




Os Kew Gardens, como em geral são conhecidos, constituem um grande complexo de jardins, arvoredos e estufas, sendo um centro de excelência na investigação botânica e um afamado centro de formação profissional em jardinagem.



Fontes: “jardineiro.net” ; “jardimdeflores.com”; wikipedia; outros.




“O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.”(Mário Quintana)

13 comentários:

  1. Olá Maria.
    Espantosos os jardins. É assim que eu os conheço dos filmes. Conheço Londres, mas na cidade não há esta doçura. Parecem jardins de contos de fadas.
    Bjnhos e tudo de bom.
    alice

    ResponderEliminar
  2. Os jardins ingleses, para mim, são únicos.

    Traduzem paz e são embelezados, acima de tudo, pela natureza. Eles tratam os jardins com muito
    amor. Tenho estado várias vezes em Londres e daí,
    circulo pelos arredores e vejo seus jardins e
    sua quietude. Gosto muito da Inglaterra.

    Suas imagens estão magnificas e muito ensina sobre os jardins de meu encanto.

    "O segredo é não correr atrás das borboletas...
    É cuidar do jardim para que elas venham até você"

    lindo este acabar, de Mário Quintana.

    Obrigada pela ternura ao meu poema, "Nascer e Viver"...

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  3. *
    Recordei os Jardins da Irlanda,
    Dublin tem tres, grandes, gigantes,
    um deles é maior do que a Cidade,
    e é ver, a maioria da mulheres,
    com um filho pela mão, outro no
    carrinho de Bébé e um já a caminho,
    num colo saliente, que faz a alegria
    de um povo, sabendo de antemão, que
    é a unica forma de recuperarem dos
    assassinatos em massa, sofridos
    pelas espadas dos anglicanos !
    ,
    conchinhas floridas, deixo,
    ,
    *
    sa

    ResponderEliminar
  4. Olá Maria,
    Linda esta tua publicação. Uma vontade imensa de de "mergulhar" bem dentro dessas fotografias que de certo modo senti os perfumes desses jardins maravilhosos.
    A terminar não podia ser melhor do que a sabedoria de Mário Quintana.
    Delicioso momento, pelo que fico grato.
    Kandandos meus

    ResponderEliminar
  5. Olá Maria
    Com sempre, fotos lindíssimas.
    Que lindos jardins os dos ingleses; gosto sobretudo do verde, de não serem geométricos, onde a disposição é obra exclusiva da natureza e sobretudo da diversidade de cores das flores.
    Beijo
    LazerFeminino

    ResponderEliminar
  6. Adoro os jardins ingleses pela sua aparente 'desorganização'

    Belo post.

    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Que descobertas encantadoras amiga.

    ________(¯`: ´¯)▓▓)
    _______(¯ `•.\|/.•´¯)
    ____(▓(¯ `•.⋐(█)⋑.•´¯)▓▓)
    ____(▓▓(_.•´/|\`•._)▓▓▓▓▓)
    ____(▓▓▓▓(_.:._)▓▓▓▓▓▓▓▓)
    _(▓▓▓▓▓_▌▌_▓▓(¯`:´¯)▓▓▓▓▓)
    _(▓▓▓▓__▌▌_(¯ `•.\|/.•´¯)▓▓▓)
    __(▓▓____▌(¯ `•.⋐(█)⋑.•´¯)▓)
    ___(▓▓___▌▌▓(_.•´/|\`•._)▓)
    ____(▓___▌▌▓▓ (_.:._)_▓)
    A amizade é o elo mais forte
    Que liga duas pessoas ao mundo
    Deixo meu carinho e minha amizade
    Em seu coração

    ResponderEliminar
  8. Maria os jardins são belíssimos e suas postagens mostram sua sensibilidade que consegue captar tudo isso e compartilhar conosco. bjs, Eliete

    ResponderEliminar
  9. AQCHEI OS JANDINS LINDOS

    ResponderEliminar
  10. que legal, vc colocou um poema do carlos drummond, aqui do brasil!conhece meu país?

    ResponderEliminar
  11. amei o seu blog. com esse calor, não da vontade de se esconder nesses jardins maravilhosos?

    ResponderEliminar
  12. amei o seu blog,é tudo de bom. com esse calor não dá vontade de se esconder num desses jardins?

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.