segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Pergunta-me - Mia Couto




Pergunta-me
se ainda és o meu fogo
se acendes ainda
o minuto de cinza
se despertas
a ave magoada
que se queda
na árvore do meu sangue

Pergunta-me
se o vento não traz nada
se o vento tudo arrasta
se na quietude do lago
repousaram a fúria
e o tropel de mil cavalos

Pergunta-me
se te voltei a encontrar
de todas as vezes que me detive
junto das pontes enevoadas
e se eras tu
quem eu via
na infinita dispersão do meu ser
se eras tu
que reunias pedaços do meu poema
reconstruindo
a folha rasgada
na minha mão descrente

Qualquer coisa
pergunta-me qualquer coisa
uma tolice
um mistério indecifrável
simplesmente
para que eu saiba
que queres ainda saber
para que mesmo sem te responder
saibas o que te quero dizer


Mia Couto, in 'Raiz de Orvalho'


16 comentários:

  1. Mia Couto é um must.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  2. Hello dear Maria!
    Such a beautiful poem and lovely lyrics!
    I like the image that you choose!
    Have a lovely day and a happy week!
    Dimi...

    ResponderEliminar
  3. Já conhecia, tenho este livro.
    Abraço e boa semana

    ResponderEliminar
  4. Bela escolha. Belo poema...Adorei:))

    Hoje : As palavras ternas do meu dicionário

    Bjos
    Votos de uma Segunda-Feira

    ResponderEliminar
  5. Un nostálgico y bello poema. Un abrazo feliz semana.

    ResponderEliminar
  6. Este poema de Mia Couto é muito belo e inspirador, assim como todos os poemas do livro. Gostei de o encontrar aqui.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Uau!
    Um poema soberbo. Muito bom gosto na escolha! Obrigada

    Degraus, duma vida em movimento
    Beijos e uma excelente semana!

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde Maria,
    Tão belo este poema!
    Não conhecia e adorei.
    Obrigada por partilhar.
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  9. La vida esta llena de preguntas a las que buscar respuestas.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  10. Pergunta-me agora,
    que ainda cá estou
    se souber a resposta
    de certeza que a dou!

    Belo poema do grande poeta e escritor Mia Couto.

    Tenha uma boa noite amiga Maria,
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  11. Linda a poesia que escolheste, gostei muito, obrigada pela partilha.
    Beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  12. Gostei de ler tão bonito poema
    Bjs

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Violência - Criança leva com bala...

    ResponderEliminar
  13. Perguntas... E, nem sempre as respostas serão agradáveis...
    Bela escolha de poema de Mia Couto!
    Abraço.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo