terça-feira, 24 de abril de 2018

19 Soneto de Mal Amar - Ary dos Santos





Invento-te    recordo-te   distorço
a tua imagem mal e bem amada
sou apenas a forja em que me forço
a fazer das palavras tudo ou nada.

A palavra desejo incendiada
lambendo a trave mestra do teu corpo
a palavra ciúme atormentada
a provar-me que ainda não estou morto.

E as coisas que eu não disse? Que não digo:
Meu terraço de ausência    meu castigo
meu pântano de rosas afogadas.

Por ti me reconheço e contradigo
chão das palavras mágoa joio e trigo
apenas por ternura levedadas.


Ary dos Santos, in 'O Sangue das Palavras'


19 comentários:

  1. Olá Maria
    Tanto tempo que não vinha aqui !
    Mas não esqueço de seus lindos posts com artes, poesias e lugares maravilhosos !
    Já estive a andar pelo blog

    Esta semana na tv brasileira mostraram Portugal e o Algarve em especial. Lembrei-me de ti . Como é bonito o lugar em que vives ! Saudável, ameno e promissor !

    Gostei do soneto , Ary dos Santos, soube muito bem decifrar o amor no campo das invenções e sensações

    bjs
    uma linda semana !

    ResponderEliminar
  2. Viveu uma vida de excessos.
    Mas, até por testemunhos de amigos, viveu feliz.
    E tinha um imenso talento.

    ResponderEliminar
  3. Hello dear Maria!
    A very beautiful poem and lovely lyrics!
    Thank you for sharing! Enjoy your day!
    Dimi...

    ResponderEliminar
  4. That's my kind of poem and I love the photo you've selected to go with it!

    ResponderEliminar
  5. Bom dia. Visitando e elogiando o poema lindíssimo de Ary dos Santos. Um poeta fabuloso.
    .
    * Amor = Fogo que Arde em Chispas Ardentes. *
    .
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  6. Gran belleza! Sobran los comentarios.
    Un abrazo, Maria.

    ResponderEliminar
  7. Olá queria Maria,
    Lindas palavras nesse soneto, amei.
    Grande beijo

    ResponderEliminar
  8. gracias por darnos tanta belleza en palabras

    ResponderEliminar
  9. Hi Maria. Fantastic picture and wonderful text.

    ResponderEliminar
  10. Que saudades da poesia acutilante do Ary dos Santos.
    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Um poema bonito e conflitante... Gostei de ler, reler e refletir...
    Um abraço nesta terça-feira

    ResponderEliminar
  12. O título é como o poema.
    Vertente forte de emoções.
    Mas é bonito.
    Boa continuação de semana.

    ResponderEliminar
  13. a foto é mt bonita e o poema ele entao é lindo gostei mt parabens bjs

    ResponderEliminar
  14. Belíssimo momento querida amiga muitos beijinhos no coração felicidades

    ResponderEliminar
  15. https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
    Boa noite Maria!
    Desculpe amiga, mas ficou para o fim e já nem acabei os comentários. Peço desculpa, mas tenho estado doente e vou no fim do mês fazer mais uma cirurgia.
    Quando ao Soneto de Mal Amar...achei interessante e espectacular!
    Beijinho Maria e tenha uma santa noite... Bom feriado!
    Luisa Fernandes

    ResponderEliminar
  16. Um belo poema de Ary, que adorei descobrir!
    Belíssima escolha, Maria! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.