sexta-feira, 4 de março de 2016

Apresentação - Poema de Cecilia Meireles





Aqui está minha vida — esta areia tão clara
com desenhos de andar dedicados ao vento.

Aqui está minha voz — esta concha vazia,
sombra de som curtindo o seu próprio lamento.

Aqui está minha dor — este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.

Aqui está minha herança — este mar solitário,
que de um lado era amor e, do outro, esquecimento.


Cecília Meireles, in 'Retrato Natural'





4 comentários:

  1. Muito bom! Parabéns pela excelente escolha!!

    Beijo Bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. É tão bom ler palavras da escritora!! Lindos versos escolheu! Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Dizem que carinho não se agradece, retribui-se. Mas mesmo assim quero agradecer pelo carinho da sua visita e pelo amável comentário. Beijos meus, com carinho.

    ResponderEliminar
  4. Mais uma escolha maravilhosa!... Com que me encantei, por aqui...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo