quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Teus Olhos Entristecem - Poema de Fernando Pessoa




Teus olhos entristecem
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem...
Não me ouves, e prossigo.

Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez...
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.

Fernando Pessoa


6 comentários:

  1. Olá Maria:
    Quem sou eu para interpretar tão grande poeta,
    esses seres que conseguem falar de suas dores e de seus amores, e nos colocam em seus lugares, pois nos emocionam e sofremos como eles, as vezes sem mesmo termos motivos reais só nossos para sofrer.
    Lindas imagens e maravilhoso o poema.
    beijos, Léah

    ResponderEliminar
  2. Muito lindo esse poema!!Adorei! beijos,lindo dia! chica

    ResponderEliminar
  3. Um dos belos poemas do nosso poeta MAIOR. Que me perdoem os Camoístas, mas para mim não há poeta na nossa literatura quye se compare a Pessoa.
    Um abraço

    ResponderEliminar

  4. Olá, Maria

    Muito bom encontrar aqui Fernando Pessoa, cujo talento nos emociona.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Para ler e reler. Este poema é belíssimo!

    Bom fim de semana, Maria.

    Beijo

    Sónia

    ResponderEliminar
  6. A vida, muitas vezes, escapa-se-nos por entre os dedos...
    Palavras do poeta para Ofélia?

    Beijo :)

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo