quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Por Todos os Caminhos do Mundo


 Foto: Deviantart_Rhodhell


A minha poesia é assim como uma vida que vagueia
pelo mundo,

por todos os caminhos do mundo,
desencontrados como os ponteiros de um relógio velho,
que ora tem um mar de espuma, calmo, como o luar
num jardim nocturno,

ora um deserto que o simum veio modificar,
ora a miragem de se estar perto do oásis,
ora os pés cansados, sem forças para além.

Que ninguém me peça esse andar certo de quem sabe
o rumo e a hora de o atingir,
a tranquilidade de quem tem na mão o profetizado
de que a tempestade não lhe abalará o palácio,
a doçura de quem nada tem a regatear,
o clamor dos que nasceram com o sangue a crepitar.

Na minha vida nem sempre a bússola se atrai ao mesmo
norte.
Que ninguém me peça nada. Nada.
Deixai-me com o meu dia que nem sempre é dia,
com a minha noite que nem sempre é noite
como a alma quer.

Não sei caminhos de cor.

 Fernando Namora




7 comentários:

  1. Linda poesia,Muito bem trazida! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Bom dia minha amada!!!!!
    Gratificante vim aqui neste cantinho tão singelo trazer minha mensagem de amor e carinho.
    Venho desejar dias de paz e de luz ...
    bjssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  3. bom dia querida amiga linda este poema parabens or esta brilhante escolha,saudades de voce
    vim ler seus versos sempre lindos e deixar um abraço uma semana linda para voce bjs marlene

    ResponderEliminar
  4. Bela poesia...Espectacular....
    Passe no meu blog que tem lá um Prémio....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Imagem e poesia lindas!
    "Não sei caminhos de cor." Gostei demais desta conclusão... A vida não pode ser programada de maneira "regrada", ela é dinâmica e bela!

    Maria, muita paz e beijinhos...

    ResponderEliminar
  6. Maria minha querida
    Excelente escolha, já conhecia, como conheço outros poemas de Fernando Namora, tal como li muita coisa dele.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Minha querida Maria

    Linda esta poesia de Fernando Namora,e a imagem maravilhosa, uma boa escolha.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo