segunda-feira, 26 de março de 2012

A maravilhosa arte de Jean-Pierre Augier


Pierre Augier é um escultor nascido no ano de 1941 em Saint-Antoine-de-Siga (Nice), que consegue transformar ferro em figuras de linhas harmoniosas que sugerem momentos de carinho, ternura pureza e magia.




Quando criança, não havia muitos recursos para comprar brinquedos, então recolhia sucatas e outras coisas que encontrava no trajeto para a escola. Com eles, ele montava os seus brinquedos.
Pierre Augier, tinha como diziam os seus colegas uns pais “amorosos”, O pai era agricultor, produtor, caçador e pescador e. Um homem sábio, prudente, e sensível às artes. Josephine Augier, sua mãe, assumiu o seu papel de esposa e mãe com dinamismo.




No ano de 1949 Jean-Pierre foi para a escola St. Clair School (distrito Levens), liderada pela professora, Miss Carpenter. Esse percusro para a escola era feito todos os dias a pé. A natureza que o rodeava fascinava-o (plantas e animais) e começou a criar objetos artísticos com o que encontrava (sementes, agulhas de pinheiro, argila).




Conclui o ensino primário em 1955 e estimulado por miss Carpenter, sua professora, percorre museus, mosteiros, igrejas e catedrais, passando a ter um contato mais direto com as artes plásticas.

Em 1956 sob orientação do escultor Marcel Maury passou a criar colares e pulseiras feitas de escamas de pinhas.




Durante o serviço militar na Argélia (1961-1963), esculpiu em madeira as figuras do deserto e criou peças de cerâmica inspiradas em gravuras rupestres. Interessava-se por antigas ferramentas abandonadas e aprendeu a soldá-las com o seu primo Roger Debacq, um mecânico em St. Blaise.




Começa a dar forma a essas peças de ferro transformando-as em personagens articulados, aos quais imprime segundo ele mesmo diz, as quatro “virtudes cardeais”: graça, movimento, sensibilidade e humor.




Em 1964 instalou o seu ateliê no estábulo da casa de seus pais e em 1965 - juntamente com Marcel Maury, realiza a sua primeira exposição de peças de madeira (aves, atletas, dançarinos, luzes e lâmpadas de rua ...) e de Anjos músicos em ferro.




Casa-se em 1967 com Marie-Helene Pavillet. O casal teve dois filhos, Laurence em 1968, e Emmanuel, em 1970.




A partir de 1970 passou a trabalhar só ferro. Um critico de arte da galeria de Mougins, Frederic Lusson, apresenta-o como um "mágico do ferro".




Simplificando formas e detalhes, este escultor francês de grande sensibilidade, parece dar vida e movimento às suas figuras e consegue transformar o ferro em figuras lindissímas, esculpidas com maestria.




Maternidade, fábulas, contos de fadas, mitologia e temas religiosos são os temas favoritos deste artista genial.




Já realizou exposições em Levens, várias outras regiões da França, e também em Paris, Nova York, Luxemburgo, Bélgica, Alemanha e Suíça.




Em 2003 Jean-Pierre Augier foi nomeado cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras.

O seu trabalho expressa a felicidade, mas felicidade conquistada através da coragem, trabalho, talento e virtudes comuns. A sua obra nos convida a um olhar sereno sobre os homens, natureza ou objetos.




Poderá apreciar melhor a sua arte no seu site oficial : Site de Jean-Pierre Augier

Fontes e Fotos: http://www.jpaugier.fr/; http://www.amazoninterart.com/; email recebido; outros



"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência." (Aristóteles)

13 comentários:

  1. Olá Maria!
    Adorei ver em pormenor as criações deste artista.
    Já conhecia algumas imagens, que recebi por mail.
    Agora fiquei com uma visão mais completa. Obrigada.Abraços.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  2. Que trabalho maravilhoso! Tão cheio de movimento! Incrível.

    ResponderEliminar
  3. Querida Maria!!
    Fico sempre aguardando as suas publicações e a cada dia me surpreendo com sua sabedoria.
    Tenha um dia abençoado!!
    beijão

    ResponderEliminar
  4. Lindíssima esta arte de Jean-Pierre Augier! Parabéns pelo post, Maria!...
    Muita paz e o meu carinho

    ResponderEliminar
  5. Adoro as figuras dele, recebi em pps, e tenho guardado.
    Sempre boas estas dicas Maria
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Já conhecia duas ou três peças dele. Mas que quantidade de peças lindas aqui estão.
    Uma maravilha. E obrigada por partilhar esta história de um escultor, que quase desconhecia.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  7. Como pode o ferro ter tanta suavidade?
    Lindo!

    ResponderEliminar
  8. É uma arte e tanto, peças atraentes e bem bonitas.
    Um abraço amiga querida, beijos.

    ResponderEliminar
  9. Obrigado querida, que belos trabalhos estes, adorei. Quanto a minha nora ela continua fazendo as diálises, e todos nós estamos esperançosos na recuperação de seus rins. Uma linda noite para ti e beijinhos carinhosos com certeza.

    ResponderEliminar
  10. Querida amiga

    Muito obrigada.

    Linda semana cheia de alegrias BJS.

    ResponderEliminar
  11. Olá, Maria. Que gênio! Belissima arte. Delicadeza das formas. Amei! Adoro a arte. Obrigada amiga! Agradeço também sua sempre carinhosa visita. Tenha um bom dia! Bjos.

    ResponderEliminar
  12. Muito belo, interessante e criativas as peças...beijos de bom dia pra ti minha amiga...

    ResponderEliminar
  13. Minha querida

    Uma maravilha estas peças, como sempre a tua sensibilidade a descobrir estas verdadeiras obras de arte.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo