quinta-feira, 18 de outubro de 2012

A Raposa


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!




Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

Hoje vamos conhecer um pouco melhor: A Raposa




Nome Científico: Vulpes vulpes
Ordem: Carnivora
Família: Canidae

Distribuição e Habitat :
São animais facilmente adaptáveis e, por isso, encontram-se numa grande diversidade de habitats existentes por todo o mundo, tais como: charnecas, florestas, montanhas, dunas e zonas agrícolas e urbanas. Eles habitam em toda a Europa, ilhas britânicas incluidas, Ásia, América do Norte e em algumas regiões do Norte de África e do Médio Oriente, bem como no território australiano.





Identificação:
As raposas são animais mamíferos onívoros pertencentes à família Canidae. São canídeos de porte médio, caracterizados por um focinho esguio, rematado por umas orelhas longas e pontiagudas, e uma cauda espessa e vistosa com cerca de 50 cm de comprimento. A pelagem é castanho-avermelhada, e as patas estão dotadas de garras não retrácteis. O corpo e a cabeça apresentam um comprimento que pode variar entre 60 a 90 cm, e um peso entre 5 a 10 kg. As fêmeas são sensivelmente menores que os machos. Possuem sentidos de visão, olfacto e audição excelentes.





De cerca de 37 espécies reconhecidas como raposas, somente 12 pertencem ao gênero Vulpes das "raposas verdadeiras", do qual a raposa vermelha é a mais comum.

Hábitos e Alimentação:
É um animal com uma actividade essencialmente crepuscular e uma dieta quase exclusivamente carnívora. Dela fazem parte pequenos mamíferos - coelhos, lebres, ouriços-cacheiros -, aves, peixes, insectos, e ocasionalmente frutos silvestres e cultivados.





Chega a ter cerca de 20 tocas onde esconde o alimento excedente, conseguindo lembrar-se de todas elas. Nas zonas rurais, por vezes assalta os galinheiros, tendo o hábito de matar em excesso, o que lhe vale uma má fama entre essas comunidades. Vive geralmente em pequenos grupos, formado por um macho adulto e várias fêmeas.




Reprodução:
As raposas constituem casais apenas na época do acasalamento, que ocorre em meados do inverno para as raposas vermelhas, a espécie mais difundida. Uma vez estabelecido, um casal ocupa um pequeno território que passa a defender de outras raposas.




Os filhotes nascem após um período aproximado de 50 dias de gestação, e seu número e tamanho variam conforme a espécie e o ambiente, podendo ser de quatro a sete crias (sendo geralmente cinco). Nos dias que sucedem ao nascimento, o macho traz o alimento para a fêmea enquanto ela cuida dos filhotes na toca; mais tarde, o casal passa a caçar para alimentar os filhotes. Em meados do verão, as jovens raposas começam a caçar sozinhas e se tornam auto-suficientes no outono. No início do inverno, os filhotes deixam o território e a família se desfaz.




Estatuto de conservação e principais ameaças:
A Caça à raposa, considerada uma tradição da Inglaterra, foi proibida em 2005 pelo Parlamento Britânico por violar os direitos dos animais propostos pela UNESCO. A espécie não está globalmente ameaçada (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza).




Fontes: Wikipedia; Portlasaofrancisco; http://www.worldzootoday.com/; treknature; Enciclopédia a Vida Animal; http://www.zoo.pt/; http://www.desktopwallpaperhd.com/; http://www.walldesk.com.br/; http://www.hiren.info/desktop-wallpapers/; http://www.fotopedia.com/; http://www.pcdesktopwallpaper.com/; http://blogs.scientificamerican.com/, http://www.flickr.com/; http://www.pbs.org/wnet/nature/, outros



“A Terra provê o suficiente para as necessidades de todos os homens, mas não para a voracidade de todos.” (Mahatma Gandi) .


8 comentários:

  1. Postagem magnifica do mundo animal...que linda as imagens...
    Vindo aqui aproveito para te convidar para apoiar juntamente comigo o OUTUBRO ROSA,incentivando as pessoas conhecidas a fazer o exame de mama, prevenindo do câncer que é responsável por 52.680 novos casos no Brasil neste ano!Quero que você esteja junto comigo nesta luta,apoiando esta causa. Vamos a cada dia plantar esta ideia na cabeça das pessoas...EU, do blog FOLHAS DE OUTONO,agradeço todo o apoio E comentário deixado lá em prol da minha nova postagem.Peço que ao passar leve uma mensagem de positividade.

    ResponderEliminar
  2. Querida amiga, a raposa é um animal astuto e esperto, adorei saber mais sobre ela. Beijocas

    ResponderEliminar
  3. QUE LINDINHAS AS SUAS RAPOSAS MARIA!!!

    MARAVILHA!!!

    BOM FIM DE SEMANA!!!

    1 BEIJINHO LÍDIA

    ResponderEliminar
  4. Lindas raposinhas! Gostaria de ter algumas em casa.
    Mais uma vez amiga, deste uma aula de meio ambiente.
    Amei as imagens delas.
    Um abraço.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Um animal lindíssimo ,inteligente mas pelas perseguições a que tem sido sujeito ,muito desconfiado.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Um beijo, Maria!
    Boa pesquisa e lindo presente você nos oferece! Gostei de saber mais sobre a raposa... Lindas imagens!

    ResponderEliminar
  7. Acerto total neste post Maria!!!
    Vc "levantou a lebre", ou seja, a RAPOSA: animal lindo, esperto e ganancioso... faz lembrar a espécie humana;-)
    Diferentemente de algumas pessoas, apenas é como é (não tem o Dom do Livre Arbítrio)... e, sendo como é, por instinto, coopera com o equilíbrio da natureza.

    Abração
    Jan

    ResponderEliminar
  8. Lindo o blog... as fotos maravilhosas e a dica é sensacional!
    Vou te seguir...posso ?

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.