domingo, 28 de outubro de 2012

O Livro da Vida


Foto: deviantart_Helle
Absorto, o Sábio antigo, estranho a tudo, lia...
— Lia o «Livro da Vida» — herança inesperada,
Que ao nascer encontrou, quando os olhos abria
Ao primeiro clarão da primeira alvorada.

Perto dele caminha, em ruidoso tumulto,
Todo o humano tropel num clamor ululando,
Sem que de sobre o Livro erga o seu magro vulto,
Lentamente, e uma a uma, as suas folhas voltando.

Passa o Estio, a cantar; acumulam-se Invernos;
E ele sempre, — inclinada a dorida cabeça,—
A ler e a meditar postulados eternos,
Sem um fanal que o seu espírito esclareça!

Cada página abrange um estádio da Vida,
Cujo eterno segredo e alcance transcendente
Ele tenta arrancar da folha percorrida,
Como de mina obscura a pedra refulgente.

Mas o tempo caminha; os anos vão correndo;
Passam as gerações; tudo é pó, tudo é vão...
E ele sem descansar, sempre o seu Livro lendo!
E sempre a mesma névoa, a mesma escuridão.

Nesse eterno cismar, nada vê, nada escuta:
Nem o tempo a dobrar os seus anos mais belos,
Nem o humano sofrer, que outras almas enluta,
Nem a neve do Inverno a pratear-lhe os cabelos!

Só depois de voltada a folha derradeira,
Já próximo do fim, sobre o livro, alquebrado,
É que o Sábio entreviu, como numa clareira,
A luz que iluminou todo o caminho andado..

Juventude, manhãs de Abril, bocas floridas,
Amor, vozes do Lar, estos do Sentimento,
— Tudo viu num relance em imagens perdidas,
Muito longe, e a carpir, como em nocturno vento.

Mas então, lamentando o seu estéril zelo,
Quando viu, a essa luz que um instante brilhou,
Como o Livro era bom, como era bom relê-lo,
Sobre ele, para sempre, os seus olhos cerrou...

António Feijó



9 comentários:

  1. A imegem é um encanto!

    E quanto ao poema , foi agradável relembrar Feijó...

    Bons sonhos, amiga.

    ResponderEliminar
  2. Precioso y lindo versos.
    Sakudos abrazos y buen fin de semana

    ResponderEliminar
  3. oi Maria,

    você escolhe sempre tudo tão bem,
    saio daqui sempre muito melhor do que cheguei,
    adorei o poema...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Maria, Um Bom Domingo Para Você e Família...
    Um Poema muito precioso para ler e refletir! O Livro da Vida é Um Tesouro!...
    Beijinhosss...

    ResponderEliminar
  5. é pena que não vamos relendo o livro da vida e só guardemos para o fazer depois de perecer
    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Olá, querida Maria
    Incrível!!
    O livro da vida é editado ao fim da etapa final do nosso viver... E como ele tem plenitude e fundamento ao folheá-lo no final!!!
    Bjs de paz

    ResponderEliminar
  7. Magnífica escolha poética.
    Há quanto tempo não lia o António Feijó...
    A escolha do foto é muito feliz.
    Maria, querida amiga, tem uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Oi querida Maria , vim agradecer a visita, e me deparo com esta poesia linda!realmente pode ser chamado o livro da vida, graças aos conhecimentos passados para todos. se seguíssimos o mundo seria muito melhor. Um abraço carinhoso. Celina

    ResponderEliminar
  9. Minha querida, sabedoria e encanto no belo poema de Antonio Feijó.Parabéns por esta belíssima escolha.
    Lindíssima reflexão podemos fazer ao ler este poema.
    Brisas e muitas flores para você bela amiga.Bjs Eloah

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo