quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Com os olhos na CALÇADA PORTUGUESA


Hoje vamos divagar não com os olhos para além do horizonte, mas com eles virados para o chão, para apreciarmos a beleza e arte da calçada portuguesa.


Com cubos de pedras pretas e brancas se vai fazendo arte no chão. Pássaros, peixes, flores, ou diferentes ondulados, muitos são os motivos artísticos que adornam e embelezam as praças, parques, passeios e outras áreas públicas.


Foto: Luis Ponte


Foto: Fernando Fidalgo


Os mestres calceteiros debruçados sobre o chão, vão com o seu martelo calcetando os espaços preparados com pedras de formato irregular, geralmente de calcário e basalto, formando padrões decorativos pelo contraste entre as pedras de distintas cores. As cores mais tradicionais são o preto e o branco, embora sejam populares também o castanho e o vermelho. Em certas regiões brasileiras, porém, é possível encontrar pedras em azul e verde.




Fotos: calcadaportuguesa-roc2c.blogspot


No Brasil a sua aplicação pode ser apreciada em projectos como o do calçadão da Praia de Copacabana (uma obra de Roberto Burle Marx) ou nos espaços da antiga Avenida Central, ambos no Rio de Janeiro.




São as cartas régias de 20 de Agosto de 1498 e de 8 de Maio de 1500, assinadas pelo rei D. Manuel I, que marcam o início do calcetamento das ruas de Lisboa, mais notavelmente o da Rua Nova dos Mercadores (antes Rua Nova dos Ferros).



Foto: calcadaportuguesa-roc2c.blogspot


Nessa época, foi determinado que o material a utilizar deveria ser o granito da região do Porto, que, pelo transporte implicado, tornou a obra muito dispendiosa.





O terramoto de 1755, a consequente destruição e reconstrução da cidade lisboeta, em moldes racionais mas de custos contidos, tornou a calçada algo improvável à época.


Foto: calcadaportuguesa-roc2c.blogspot


Em 1842 foi feita em Lisboa uma calçada calcária, já muito próxima da que hoje conhecemos. O trabalho foi realizado por presidiários (chamados "grilhetas" na época), a pedido do Governador de armas do Castelo de São Jorge, o tenente-general Eusébio Pinheiro Furtado. O desenho utilizado nesse pavimento foi de um traçado simples (tipo zig-zag).




Após posteriormente concedidas verbas a Eusébio Furtado para que os seus homens pavimentassem toda a área da Praça do Rossio, uma das zonas mais conhecidas e mais centrais de Lisboa, numa extensão de 8 712 m².




A calçada portuguesa rapidamente se espalhou por todo o país e colónias, subjacente a um ideal de moda e de bom gosto, tendo-se apurado o sentido artístico, que foi aliado a um conceito de funcionalidade, originando autênticas obras-primas nas zonas pedonais.




Fotos: calcadaportuguesa-roc2c.blogspot


Em 1986, foi criada uma escola para calceteiros (a Escola de Calceteiros da Câmara Municipal de Lisboa), situada na Quinta Conde dos Arcos.





Da autoria de Sérgio Stichini, em Dezembro de 2006, foi inaugurado o monumento ao calceteiro, na Rua da Vitória (baixa Pombalina), em frente à igreja de São Nicolau.



Foto:lisbon lux magazine


Esta arte é uma herança histórica e ultrapassou fronteiras, sendo solicitados mestres calceteiros portugueses para executar e ensinar estes trabalhos no estrangeiro. A calçada portuguesa espalhou-se por todo o Mundo.



Foto: calcada St. Augustine's Square em Macau


Fontes e Fotos: Wikipedia; http://calcadaportuguesa-roc2c.blogspot.co.uk/; http://www.cm-lisboa.pt/; http://ceuco-portugal.com/; outros




"A arte vence a monotonia das coisas assim como a esperança vence a monotonia dos dias." (Gilbert Keith Chesterton)

17 comentários:

  1. É bonito Maria e aqui no Brasil tem sim; não é só em Copacabana, "vou pesquisar e depois te digo. Essas calçadas são históricas "é um trabalho de arte¨ de grande valor..Gostei da frase:
    "a esperança vence a monotonia dos dias e a arte a monotonia das coisas""
    Adorei ver!
    beijinhos e boa noite/ aqui são 20:15.
    Ainda é cedo!

    ResponderEliminar
  2. Maria
    Sou apaixonada por calçadas com pedras portuguesas, gostei demais das cores e desenho da terceira foto, e todas tem sua beleza também. Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  3. São maravilhosas e admiro muito esse trabalho! Lindo! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  4. Muito bonitas, todas as calçadas. A calçada da Avenida Atlântica, em Copacabana, é famosa, dando a ideia de ondas. Parece ter sido inspirada na calçada da Praça do Rossil, de Lisboa.

    Linda matéria, Maria. Vou compartilhar no FB.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  5. Minha amiga, quantas curiosidades e belezas nessas calçadas!
    Imagino o trabalhão que deu.

    Obrigada por compartilhar com a gente.

    Beijos com carinho.

    ResponderEliminar
  6. Sua amizade e muito importante para
    mim .
    Tenho vivido nos últimos tempos
    muitas dificudades para fazer visitas.
    o tempo vai passando nada melhora
    para ,que possa digitar.
    O fato de não poder comentar não significa,
    que deixei de ler sua postagem ela é
    minha bagagem para meu segundo livro.
    Quando lemos bastante adquirimos mais sabedoria
    na escrita tornando maior nossa bagagem.
    Cada blog visitado representa a história de uma vida.

    Na minha postagem tem sorteio de dois livros
    de um amigo escritor.
    Ficarei feliz aceitando e convite
    para participar do sorteio.
    Já conheço a grandeza das obras do livro dele.
    Uma linda noite te espero para viagem beijos,Evanir.

    ResponderEliminar
  7. Que laborioso y trabajo lleva hacer esos lindos paseos.
    Saludos y abrazos.

    ResponderEliminar
  8. Outros tempos...outras vontades....para obras grandiosas..
    Vai-se vendo por aí...qualquer coisa ainda...
    Beijo

    ResponderEliminar
  9. Minha querida Maria

    As nossas famosas calçadas...infelizmente já não há quem faça.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  10. Simplesmente maravilhoso!
    Maria sinto imensas saudades das nossas calçadas por estas bandas que são arrancadas e substituidas por pavé! Um crime.
    Adorei estas, são lindas, dou muito valor aos seus artistas.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. Magnífico o teu blogue, Maria!
    Variado, sempre com assuntos de interesse. Este é mais um!!!Estas são obras de arte que estão aos nossos pés e vale a pena olhar para elas.
    Abraços. M. Emília

    ResponderEliminar
  12. VOU TE ESPERAR AMANHÃ NESTE CANTINHO BEM ESPECIAL http://sandrarandrade7.blogspot.com.br/
    TEM SURPRESA BEM ESPECIAL PARA OS AMIGOS ESPECEIAIS. VENHA VOU TE ESPERAR, NA CURIOSA TANBÉM TEM O LINK PARA A GRANDE SURPRESA, NÃO DEIXE DE VIR. VOCÊ É O MEU(MINHA) CONVIDADO(A) ESPECIAL.
    CARINHOSAMENTE.
    SANDRA
    AMIGOS COMPARTILHAM. PRINCIPALMENTE NESTA DATA BEM ESPECIAL DA MINHA VIDA.
    CELEBRE A VIDA.

    ResponderEliminar
  13. Belas imagens, amiga, vou precisar me afastar por uns trinta dias, não ando bem, ando vazia, oca, vou tentar me reencontrar, deixei um último texto lá, até a volta, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  14. Maria boa tarde,
    Primorosa obra de arte a Calçada Portuguesa!
    Uma ideia genial tê-la colocado aqui. O nosso País é enorme de talento. Não vamos deixar que nos retirem a qualidade do que somos capazes de fazer.
    Bem-haja por este "post" magnífico.
    Continuação de bom domingo e excelente semana.

    ResponderEliminar
  15. A época da arte nas calçadas!
    Essa linda época está longe, aqui não se faz mais isso... o que é uma pena.
    beijos, amiga!
    tais

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.