segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Pergunto-te Onde se Acha a Minha Vida





Pergunto-te Onde se Acha a Minha Vida

Pergunto-te onde se acha a minha vida.
Em que dia fui eu. Que hora existiu formada
de uma verdade minha bem possuída.

Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada.

E a quem é que pergunto? Em quem penso, iludida
por esperanças hereditárias? E de cada
pergunta minha vai nascendo a sombra imensa
que envolve a posição dos olhos de quem pensa.

Já não sei mais a diferença
de ti, de mim, da coisa perguntada,
do silêncio da coisa irrespondida.

Cecília Meirele




7 comentários:

  1. Linda e adoro a Cecília!!beijos,chica e que tua semana seja ótima!

    ResponderEliminar
  2. Adoro Cecília Meirele, este poema está lindo!!

    Tenha uma semana repleta de paz e luz!!♥

    ResponderEliminar
  3. É realmente um belo poema....
    Boa semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Plena de beleza e intensidade esta poesia...beijinhos amiga,
    Valéria

    ResponderEliminar
  5. Existem dias emque me procuro, mas não me encontro!
    Excelente escolha querida, tambem gostei imenso das imagens.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  6. Cecília Meireles, sempre lindo, tudo o que fez...
    Beijo, Maria!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo