sábado, 25 de maio de 2019

Saudade




Saudade!
Dize-me: quem és?

Tu apareces sempre
Quando alguém se separa,
Deixando um rastro qualquer...

Presente estás
Quando o amor se parte,
Partindo também
Os elos de uma corrente,
Corrente que deveria ser permanente...

Saudade !
És um termo
Como outro qualquer,
Mas és também
Uma personagem da vida,
Que se coloca entre dois seres...

Mas, saudade,
Torno a perguntar-te:
Finalmente,
Quem és?


Olympiades Guimarães Corrêa
Do livro Neblina do tempo




11 comentários:

  1. Hello Maria,

    Beautiful photo and poem.
    Have a nice weekend, hugs!

    ResponderEliminar
  2. One word is enough: Beautiful.
    Have a wonderful weekend Maria :)

    ResponderEliminar
  3. Bonito poema!!!
    Saudades, têm umas que são cruéis... Outras, são tão doces e boas companheiras...
    Beijinhos e BOM SÁBADO, querida Maria...

    ResponderEliminar
  4. Que poema fantástico! A imagem bem escolhida. Obrigada!!:)

    Beijos. Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  5. Um poema muito bonito.
    Abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  6. Essa palavra saudade. Saudade de quem partiu. Saudade de quem está longe. Saudade de quem se ama. Vezes sem fim pronunciada.

    Se digo a verdade,
    é porque não minto
    belo poema saudade
    da saudade que sinto!

    Bom fim de semana amiga Maria. Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Um belo poema, muito expressivo, nostálgico e magoado. Sim, por que razão se quebram as cadeias dos afectos mais marcantes?! Por que motivo não é possível definir a saudade?!... Talvez porque caso isso acontecesse o conceito deixasse de fazer sentido, tornando-se menos transcendente.
    Beijos.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo