sábado, 25 de maio de 2019

Saudade




Saudade!
Dize-me: quem és?

Tu apareces sempre
Quando alguém se separa,
Deixando um rastro qualquer...

Presente estás
Quando o amor se parte,
Partindo também
Os elos de uma corrente,
Corrente que deveria ser permanente...

Saudade !
És um termo
Como outro qualquer,
Mas és também
Uma personagem da vida,
Que se coloca entre dois seres...

Mas, saudade,
Torno a perguntar-te:
Finalmente,
Quem és?


Olympiades Guimarães Corrêa
Do livro Neblina do tempo




13 comentários:

  1. Hello Maria,

    Beautiful photo and poem.
    Have a nice weekend, hugs!

    ResponderEliminar
  2. One word is enough: Beautiful.
    Have a wonderful weekend Maria :)

    ResponderEliminar
  3. Bonito poema!!!
    Saudades, têm umas que são cruéis... Outras, são tão doces e boas companheiras...
    Beijinhos e BOM SÁBADO, querida Maria...

    ResponderEliminar
  4. Que poema fantástico! A imagem bem escolhida. Obrigada!!:)

    Beijos. Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  5. Um poema muito bonito.
    Abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  6. Essa palavra saudade. Saudade de quem partiu. Saudade de quem está longe. Saudade de quem se ama. Vezes sem fim pronunciada.

    Se digo a verdade,
    é porque não minto
    belo poema saudade
    da saudade que sinto!

    Bom fim de semana amiga Maria. Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Um belo poema, muito expressivo, nostálgico e magoado. Sim, por que razão se quebram as cadeias dos afectos mais marcantes?! Por que motivo não é possível definir a saudade?!... Talvez porque caso isso acontecesse o conceito deixasse de fazer sentido, tornando-se menos transcendente.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Belíssimo Poema! Saudade cada qual sente de um jeito! As minhas guardo em um maleiro bem trancado em minha alma.Maria o blog que gosto de ver suas viagens há duas semanas não carrega de forma nenhuma, inicia e para no meio, então vim nesta tua linda casa, onde encontrei tão belo poema. bjos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo