sábado, 29 de abril de 2017

Noite de Saudade - Poema de Florbela Espanca




A Noite vem poisando devagar
Sobre a Terra, que inunda de amargura...
E nem sequer a benção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Porque és assim tão escura, assim tão triste?!
é que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti, ó Noite!... Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!


Florbela Espanca

10 comentários:

  1. Passei, gosto dos poemas de Florbela Espanca e aproveito, para lhe desejar bom fim de semana!
    Com o meu abraço.

    ResponderEliminar
  2. Poema maravilhoso, adoro a poesia de Florbela Espanca!
    Beijinhos, bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  3. Florbela Espanca: a minha poetisa preferida!
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Bom dia, Maria!
    Gosto muito da poetisa portuguesa, Florbela Espanca...assisti ao filme sobre sua vida, impactante.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  5. Maravilhoso poema!Obrigada pela partilha.:)

    Beijos e um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Belo poema da note, Maria!
    Beijos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  7. Florbela Espanca,sempre maravilhosa.
    Uma ótima escolha Maria Rodrigues.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  8. Belo momento, triste como a vida dos infelizes.
    beijinho.

    ResponderEliminar
  9. Bonito poema y bien acompañado por una imagen muy bonita.

    Saludos.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo