domingo, 23 de abril de 2017

A vida - Poema de Miguel Torga





A vida passa lá fora,
Ou na pressa de uma roda,
Ou na altura de uma asa,
Ou na paz de uma cantiga;
E vem guardar-se num verso
Que eu talvez amanhã diga.


Miguel Torga, in “ Eternidade”




21 comentários:

  1. Que bom lembrar Miguel Torga!
    Muitos beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Oi Maria,
    Gosto muito da escrita de
    Miguel Torga, e esse poema
    é um dos meus favoritos...
    É lindo o visual do seu blog \o/
    Ótimo domingo ;)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Para guardar num verso é preciso ser um grande poeta como o Miguel Torga
    Belíssimo Maria
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Esses insights são muito preciosos. Quantos versos estão guardados em nós para todos os nossos amanhãs??? Um abraço, Maria
    Luc

    ResponderEliminar
  5. E passa tão depressa que nem damos conta...
    Bom domingo!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  6. Belíssimo poema de Miguel Torga.
    Beijinho e bom domingo.

    ResponderEliminar
  7. Quantos versos deixamos presos no âmago de nossa alma
    E como diz o poeta um dia quem sabe a gente o exteriorize
    Bom domingo Maria
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Um poema com versos tão lindos! A vida com as suas surpresas e desafios!...
    Um abraço grande e cheio de paz...

    ResponderEliminar
  9. Ah, lindos versos!...
    A vida passa, o ontem e o amanhã vivem em um único abraço!

    Boa semana!
    Beijos =)

    ResponderEliminar
  10. A vida fica mais encantadora nas palavras de Torga e contemplando as suas imagens
    Bom domingo Maria
    Meu beijo

    ResponderEliminar
  11. Olá Maria, quando puder põe fotos dos laranjais que vi pelas ruas no Algarve.
    Até fotografei, em dezembro.

    ResponderEliminar
  12. A vida passa porque vive passando.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  13. Gosto muito e a vida passa depressa de mais!!!bj

    ResponderEliminar
  14. A vida passa e nem a vimos passar! Lindo!!


    Beijos e um bom Domingo.

    ResponderEliminar
  15. Olá, querida Maria!
    Versos lindos e verdadeiros!

    Beijinhos no seu ♥

    ResponderEliminar
  16. Torga é único e este seu pequeno poema define-o bem :)

    Um beijinho e boa semana Maria

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
  17. Olá.

    Brilhante obras.
    Obrigado pela sua visita sempre.

    Desejo a todos o melhor.
    Saudação e abraço.

    Do Japão, ruma ❃

    ResponderEliminar
  18. bonito poema
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Boa noite Maria.
    Que bom gosto na escolha.
    Aplaudindo...
    Excelente semana! =)

    ResponderEliminar
  20. A vida vertida para o texto literário. Só mesmo assim, este fará sentido. Torga é um poeta inteiro.

    Beijinho e obrigada por tantas palavras amáveis.

    Lídia

    ResponderEliminar
  21. Sublime poema de Torga!...
    Adorei cada palavra! Como sempre, uma escolha fantástica, Maria!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo