segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A Vida - Poema de Olavo Bilac


Na água do rio que procura o mar;
No mar sem fim; na luz que nos encanta;
Na montanha que aos ares se levanta;
No céu sem raias que deslumbra o olhar;
 
 
No astro maior, na mais humilde planta;
Na voz do vento, no clarão solar;
No inseto vil, no tronco secular,
A vida universal palpita e canta!
 
 
Vive até, no seu sono, a pedra bruta...
Tudo vive! E, alta noite, na mudez
De tudo, – essa harmonia que se escuta
 
 
Correndo os ares, na amplidão perdida,
Essa música doce, é a voz, talvez,
Da alma de tudo, celebrando a Vida!
 
 
Olavo Bilac


6 comentários:

  1. olá..
    boa escolha ..
    beijos e linda semana.

    ResponderEliminar
  2. Maria, melhoras para tua mãe.Desejo que este ano novo te traga muita inspiração e felicidades.Este é apenas um momento para cuidados e apoio.Fique bem.
    Brisas e flores para você. Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  3. Antes de mais desejo que seja rápida a recuperação da saúde de sua mãe. O poema é muito bonito.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Lindo, minha amiga!
    A noite reflecte na contraluz as belezas e ressonâncias do dia... e é maravilhoso escutá-las!
    beijinho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo