quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A Pedra - Poema de Fernanda de Castro



Deus fez a pedra rude, a pedra forte,
e depois destinou: -Serás eterna.
Mostrarás a altivez de quem governa,
Não ousará tocar-te a própria morte.

E a pedra julgou linda a sua sorte.
Foi palácio, foi templo, foi caverna,
foi estátua, foi muralha, foi cisterna,
viveu sem coração, sem fé, sem norte.

Mas viu morrer o infante, o monge, a fera,
o herói, o artista, a flor, a fonte, a hera,
e humildemente quis também morrer.

Não grita, não se queixa, não murmura,
guarda a mesma aparência hostil e dura
mas sofre o mal de não poder sofrer.

Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro
Blog: Fernanda de Castro


3 comentários:

  1. Maria...penso que há muito ser humano que...
    tem muito de pedra!!! Bjs

    ResponderEliminar
  2. Os meus parabéns!!!!
    Está de facto maravilhoso!!!!
    bj
    anacosta

    ResponderEliminar
  3. Lindo poema, viver e morrer, eis a lei da vida!
    Abraços e espero que esteja tudo bem contigo e que sua mãe esteja melhor!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo