quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Amor sem tréguas - Poema de António Gedeão


É necessário amar,
qualquer coisa, ou alguém;
o que interessa é gostar
não importa de quem.

Não importa de quem,
nem importa de quê;
o que interessa é amar
mesmo o que não de vê.

Pode ser uma mulher,
uma pedra, uma flor,
uma coisa qualquer,
seja lá do que for.

Pode até nem ser nada
que em ser se concretize,
coisa apenas pensada,
que a sonhar se precise.

Amar por claridade,
sem dever a cumprir;
uma oportunidade
para olhar e sorrir.



António Gedeão

12 comentários:

  1. É o amor que alimenta seja ele por pessoas ou coisas que faz brilhar o olhar e alargar o coração.
    Linda poesia do Gedeão.
    Bela escolha Maria.
    Abraços na boa semana amiga.

    ResponderEliminar
  2. Amar nem que seja o dia presente!
    Bonito poema!

    ResponderEliminar
  3. Não conhecia este poema de António Gedeão. Gostei de o encontrar aqui.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Excelente escolha!! Amei :-)

    Beijinhos e um dia feliz

    ResponderEliminar
  5. Amar e ser amado numa linda cumplicidade do viver ,muitos beijinhos felicidades querida amiga

    ResponderEliminar
  6. E como eu concordo com o poeta.
    Somente somos felizes quando amamos. E a nós cabe a escolha do quê ou a quem vamos amar
    Belíssimo poema. Uma partilha espetacular, Maria
    Beijos poéticos

    ResponderEliminar
  7. Maria
    Extraordinariamente este poema de António Gedeão. Uma das suas grandes definições de definições de poesia.
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria, que belo poema, é um presente amar e ser amado(a)!
    parabéns pelo post!
    Bjs Larissa...

    ResponderEliminar
  9. Um poema interessante, muito bem emoldurado...
    Beijos
    ~~~

    ResponderEliminar
  10. Belos versos... penso que é bem verdade, que o importante mesmo é amar... divino é nutrir o amor no coração...
    Beijos saudosos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  11. Que lindo! Digamos que o amor está dentro de nós... sempre. :)

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.