terça-feira, 7 de maio de 2013

O Pavão - Uma ave de cores exuberantes


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!




A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre, por isso é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, o nosso magnifico Planeta.

Hoje vamos conhecer melhor o: Pavão




Nome Cientifico: Pavo Cristatus
Classe: Aves
Ordem: Galiformes
Família: Phasianidae

Dono de uma plumagem exuberante, multicolorida e de cores muito intensas, o pavão é uma ave ornamental linda.




A cauda dos pavões gerou o interesse de várias culturas, pela sua exuberância de cores e beleza das penas, e justificou a sua criação em cativeiro. As cores verde, dourada e azul, em diversas tonalidades são as cores naturais das penas da cauda do pavão.




As cores verde, dourada e azul, em diversas tonalidades são as cores naturais das penas da cauda do pavão.




Já foram criadas diversas variedades por seleção artificial que apresentam plumagem branca, negra, púrpura, entre outras cores.




Estas aves têm origem na Ásia (Paquistão, Sri Lanka e Índia), sendo que na Índia já foram considerados animais sagrados.




O rei Salomão estimava essa ave tanto como o ouro e a prata. Alexandre, o Grande (300 A.C.) o introduziu na Grécia. Espalhou-se pelo Império Romano e, já no século XIV, era encontrado na França, Inglaterra e Alemanha.




Para voar, o pavão precisa correr uma determinada distância, sendo que seu vôo é muito desajeitado e ruidoso.




Identificação:
O pavão (Pavo cristatus) é uma ave de grande porte. Pode chegar a mais de 2 metros de comprimento (incluindo a cauda) e 80 cm de altura. Pesa aproximadamente 4 kg.




Os machos são maiores e mais vistosos que as fêmeas.




 Hábitos:
Os pavões passam a noite no topo das árvores, e quando ameaçados, é para as árvores que eles fogem. Ao cair da noite, costumam gritar, sendo que na época do acasalamento, seus gritos noturnos se tornam extremamente desagradáveis.  




São aves territorialistas, ou seja, não aceitam a presença de outros animais, sobretudo se forem machos da mesma espécie. Nesse caso, o pavão macho que teve seu território invadido por outro macho, briguento por natureza, luta com o adversário até que o estranho saia de sua área. Quando perde, o pavão se retira do território que até então era seu, e sai em busca de outro território. Quando irritados, destroem arbustos e flores.




Alimentação:
Os pavões preferem alimentar-se de insetos e outros pequenos invertebrados, mas também comem sementes, folhas e pétalas.




Reprodução:
Os pavões exibem um complicado ritual de acasalamento, do qual a cauda extravagante do macho teria um papel principal. O acasalamento dos pavões não passa despercebido a quem esteja pelos arredores de seu território. Isso ocorre por que durante a época do acasalamento, essas aves gritam durante o dia e a noite.




Cada macho acasala com várias fêmeas. O ritual do acasalamento é marcado principalmente pela forma como o macho corteja a fêmea. Ele abre a cauda que fica com a forma de um leque, enquanto cada fêmea começa a fazer seu ninho na parte mais alta do território. Consumado o fato, a fêmea põe entre 4 e 7 ovos, que são chocados por aproximadamente 28 dias.




O pavão tornou-se símbolo de status, e é comumente visto nos relvados de mansões em todo o mundo.



Fontes e Fotos: Wikipédia; Portlasaofrancisco; http://www.infoescola.com/; http://www.telegraph.co.uk/; www.vibrationdata.com; Pixdaus; www.animalcorner.co.uk; www.nhptv.org; www.venezuelaonboard.com; www.vibrationdata.com; enciclopedia do Reino Animal; outros net




“A Terra provê o suficiente para as necessidades de todos os homens, mas não para a voracidade de todos.” (Mahatma Gandi) .

13 comentários:

  1. Boa noite amiga !
    Que voo arrasante dentro dessas imagens que se abre num brilho eterno...bjssssssssssss

    ResponderEliminar
  2. Preciosas imagenes y bonito reportaje
    Saludos y abrazos

    ResponderEliminar
  3. Imagens maravilhosas!!!!
    Eu trabalho próximo de um parque e de vez em quando temos o privilégio de sermos "visitados" por uns quantos que se passeiam sem medo à nossa frente!
    São realmente criaturas encantadoras!!!!
    beijo amiga

    ResponderEliminar
  4. oi Maria,

    linda postagem,
    que plumagem mais linda,
    adoro os brancos...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Ele parece saber todo o impacto que causa no ser
    humano....Maravilha...Não cansa observar...
    Adorei
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Um animal lindissímo, exuberante.
    Beijo Lisette

    ResponderEliminar
  7. Maria,

    Parabéns pela excelente e informativa postagem e fotos!
    Amo pavão e foi aqui que fiquei conhecendo bem essa bela e exótica ave que agrada gregos e troianos!
    Parabéns atrasado para sua mamãe!

    Bjksss

    ResponderEliminar
  8. Tenho pavões num parque municipal a cinco minutos de casa. São mais vigilantes do que cães, porque se alvoroçam com tudo de novo que penetre no seu território e que mexa. São lindos, sobretudo de Abril a Maio, quando as suas penas estão ainda inteiras. Partem-nas com as lutas entre eles, mas crescem de novo para o início da Primavera.
    Passeiam-se majestosamente e costumam assaltar as hortas durante a noite. Aqui agora isso não acontece, porque as quintas desapareceram com urbanização desenfreada.
    Felizmente que, naquele parque, não é lícito mexer...
    Bonito, Maria.
    Não sabia da origem do pavão: a índia. Outrora comia-se esta ave nos grandes banquetes dos nobres muito ricos... e a cauda ajudava na decoração.
    As fêmeas - as pavoas - são feinhas, pequeninas e tímidas.
    Nunca vi pavõezinhos por aqui a passear. devem vendê-los, sob a forma de ovos, ou de espécies. Até porque o pavão é voraz e, pelos vistos, quando contrariado, ou ciumento, destruidor.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  9. Simplesmente lindo querida amiga!
    Obrigada Maria por me trazeres tão saudosas recordações, eu adoro pavões e já os tive à muitos anos com omeu falecido marido, encantava-me com as suas cores.

    beijinhoe ua flor

    ResponderEliminar
  10. São realmente muito lindos. Quando pequena fui ao zoológico onde havia um casal de pavões, ele lindo, ela não tanto, Ele parecia saber que estava sendo admirado, abriu aquele leque de cores, ai uma pena solta no gramado! guardei-a durane anos, mas o tempo se encarregou de fazer-me perdê-la.
    Amei sua postagem.
    Beijos
    Léah

    ResponderEliminar
  11. Oi Maria! vc sempre nos mostra lindas imagens
    Há sempre a esperanças de que os humanos vão se conscientizar da beleza e da importância da Natureza Vida!
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  12. Adorei saber de tudo um pouco, pois tinha um casal e a fêmea , sumiu a 5 dias e estou muito triste, eles me custaram, 400 reais, não estou triste pelo valor e sim, por que era um sonho mu desde de criança criar um casal de cada especie, principalmente um casal de pavão, que eu acho lindos. parabéns por me ajudar a entender. um abraço e um ano de 2014 maravilhoso a todos vcs.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.