quarta-feira, 5 de maio de 2010

ALBERT EINSTEIN

ALBERT EINSTEIN (1879-1955) - um dos mais brilhantes cientistas da história.

Albert Einstein foi uma das figuras mais proeminentes e influentes da era moderna. Autor da Lei da Relatividade, o maior cientista do século XX, um grande humanista, sustentou aberta e activamente opiniões com respeito aos temas políticos e sociais mais candentes da sua época. Foi eleito pela revista Time como o “Homem do século”, Einstein revolucionou a nossa visão do Universo.


Albert Einstein Nasceu na Alemanha, na pequena cidade de Ulm, no dia 14 de Março, em 1879. Os seus pais Hermann Einstein e Pauline Koch eram judeus. O carácter e a biblioteca do pai foram importantes na formação de Albert Einstein. Nos primeiros anos de vida, Einstein teve dificuldades para se expressar através da fala, não falou até os 3 anos de idade e era lento para aprender, facto que, durante algum tempo, deixou os seus pais preocupados. Nos primeiros anos escolares, Einstein não se destacava nem pelas notas nem pela regularidade com que ia à escola.


Aos nove anos ingressa numa instituição de ensino chamada Luitpold Gymnasium, local onde se interessa por geometria e álgebra, matérias nas quais progride rapidamente. Aos doze anos é um autêntico génio das matemáticas e lê ávidamente Leibniz, Kant e Hume. Foi um problema para os seus professores, visto que estes não sabiam responder ás suas perguntas nem refutar os seus questionamentos.

Era um garoto quieto e particularmente solitário, que preferia ler e ouvir música. Não gostava do regime monótono e do espírito sem imaginação da escola em Munique. Apesar de ter fracos resultados escolares, Einstein tinha uma enorme curiosidade em compreender o universo. Apresentou uma postura autodidacta, afirmando que "preferiria suportar qualquer tipo de castigo a ter de papaguear as coisas aprendidas" Se considerasse os conselhos de um de seus professores teria abandonado a escola.
Em 1894 a família mudou-se para a Itália. Einstein permaneceu em Munique a fim de terminar o ano letivo. Em 1895, fez exames de admissão à Eidgenössische Technische Hochschule (ETH), em Zurique. Foi reprovado na parte de humanidades dos exames. Foi então para Aarau, também na Suíça, para terminar a escola secundária.


Terminou a escola secundária com boas notas somente em Matemática, entrou, em 1896, no Instituto Politécnico de Zurique, onde se graduou em 1901. Einstein não gostava dos métodos de instrução lá aplicados. Frequentemente não assistia às aulas, usando o tempo para estudar Física ou tocar o seu adorado violino.

Em 1902, assegurou uma posição como examinador no Escritório de Patentes da Suíça em Berna.
Em 1903, casou-se com Mileva Maric, que havia sido sua colega na Escola Politécnica. Albert e Mileva tiveram três filhos: Lieserl Einstein, Hans Albert Einstein e Eduard Einstein.


Em 1905, consegue um emprego no serviço federal de patentes que o deixava com horas vagas para estudar os problemas da física contemporânea.

Os biógrafos de Albert Einstein referem-se a 1905 como sendo "The Miracle Year".


Einstein recebeu o grau de Doutor pela Universidade de Zurique com uma dissertação sobre movimento browniano e publicou 3 trabalhos teóricos de grande importância para o desenvolvimento da Física do século XX, num dos jornais científicos mais relevantes da época, o “Annalen der Physik“.

Março de 1905: Explicação do efeito fotoeléctrico:
Einstein apresentou uma nova maneira de se entender e interpretar a luz. Até então a ideia universalmente aceite era a de que a luz, como todo o espectro electromagnético, era constituída por oscilações do campo electromagnético. Einstein baseou-se nos estudos de Max Plank (que havia sugerido que a energia era descontínua, formada por pequenos "pacotes", chamados quanta) e demonstrou que a luz pode ser interpretada como sendo formada de "partículas de energia", independentes, discretas, oscilantes, com energia proporcional à sua frequência de oscilação.

Maio de 1905: explicação do movimento Browniano:
No mesmo jornal, Einstein publicou um artigo explicando o movimento aleatório observado nas partículas suspensas num líquido, utilizando a já conhecida teoria da energia cinética. O modelo matemático apresentado por Einstein explicava em detalhe as observações experimentais dos movimentos de tais partículas.

Junho de 1905: publicação do seu mais famoso artigo, o da “Teoria da Relatividade Restrita”.

Em 1909, começa a trabalhar como professor da Universidade de Zurich, atividade que logo desenvolveu em Praga e Berlin.

Em 1914, é nomeado professor da Academia Prussiana de Ciências e diretor do Kaiser Wihelm Institut.

Em 1915, completa o desenvolvimento da sua teoria da relatividade.


Desde a época de Galileu e Newton que os físicos conheciam o Princípio da Relatividade: a medida de qualquer processo mecânico seria a mesma se o corpo estivesse em movimento com velocidade constante ou em completo repouso. Einstein estava convencido de que o Princípio da Relatividade deveria aplicar-se também à luz. Para que isto fosse possível, uma nova e mais cuidadosa consideração sobre o conceito de tempo teve que ser feita. O tempo, que, para Newton, era algo absoluto e universal, seria, segundo a Teoria da Relatividade de Einstein, relativo.

Baseado na sua Teoria da Relatividade , Einstein explicou as variações no movimento orbital dos planetas e previu a inclinação da luz das estrelas na vizinhança de um corpo massivo, como o Sol. A confirmação deste último fenómeno durante um eclipse em 1919 tornou Einstein mundialmente conhecido.

Em 1919, para além desta famosa confirmação do desvio de luz em Sobral e Príncipe, Albert Einstein divorcia-se de Mileva e casa-se com a sua prima divorciada Elsa Einstein.


Comprovadas as suas teorias, Albert Einstein recebeu o Prémio Nobel da Física em 1921, não pela teoria da relatividade restrita, mas sim pelos seus trabalhos de 1905 sobre o efeito fotoeléctrico.


Na procura da Teoria Unificada :
Na teoria da relatividade de Einstein, a força da gravidade tornou-se uma expressão da geometria do espaço e do tempo. As outras forças da natureza, como o electromagnetismo, não foram descritas nestes termos. Einstein dedicou um tempo considerável da sua vida à generalização desta Teoria.

Para Einstein, o electromagnetismo e a gravidade poderiam ser explicados numa estrutura matemática mais profunda e complexa, e por isso dedicou a maior parte da sua vida à procura de uma "teoria unificada" que uniria o electromagnetismo e gravidade, espaço e tempo.

Durante o ano de 1921, Einstein viaja até aos Estados Unidos, onde foi recebido com inigualável entusiasmo. Nenhum monarca reinante havia sido recebido como ele foi. Milhares de pessoas compareceram às ruas Nova York para saudá-lo, tendo ele desfilado num carro aberto. Dez anos mais tarde, as mesmas cenas repetiram-se em Los Angeles, quando Charles Chaplin foi à estação para recepcioná-lo e levá-lo através das ruas de Hollywood. Este, virando-se para Einstein, disse: "Você vê, eles aplaudem-me a mim porque todos me entendem; a você eles aplaudem porque ninguém o entende."


Paralelamente às suas investigações científicas, Albert Einstein lutou por diversas causas sociais. Tornou-se membro do Comité de Cooperação Intelectual da Liga das Nações em 1922.

Em 1925, juntamente com o líder dos direitos civis indianos, Mahatma Gandhi, trabalhou numa campanha pela abolição do serviço militar obrigatório. Participou ainda num importante manifesto internacional, organizado pela Liga Internacional da Mulher pela Paz e Liberdade e que lutava pelo desarmamento internacional como sendo a melhor maneira de assegurar uma paz contínua.

Em 1933, quando Hitler se tornou chanceler, Einstein viu-se obrigado a abandonar Berlim, onde era professor no Kaiser Wilhelm Gesellshaft e estabeleceu-se nos Estados Unidos, no Instituto de Estudos Avançados, em Princeton, e, em 1939, data em que os alemães se baseavam nas suas teorias para construir a bomba atómica, Einstein escreveu ao presidente dos E.U.A., Franklin Roosevelt, alertando-o das potencialidades do elemento urânio, o que viria a contribuir para o desenvolvimento do programa nuclear dos E.U.A. Adquiriu em 1940 a cidadania americana, tendo-se reformado da carreira universitária em 1945.


Aos 66 anos, Einstein fez uma breve pausa recapitulando o trajecto da sua vida: "Havia este mundo enorme, que existe independentemente de nós, seres humanos, que permanece diante de nós um enigma gigantesco e eterno, acessível, pelo menos em parte, à nossa inspecção e ao nosso pensamento. A contemplação deste mundo acenava como uma libertação. O caminho para este paraíso não era tão confortável nem tão atraente como o caminho para o Paraíso religioso; mas mostrou-se digno de confiança e nunca me arrependi de o ter escolhido."


Horrorizado com as consequências das explosões em Hiroshima e Nagasaqui, iniciou em 1946 uma campanha contra a bomba nuclear. Pronunciou-se a favor da existência do estado de Israel, contra o nazismo, envolveu-se em diversas causas sociais e lutou até ao final dos seus dias contra a utilização das armas nucleares.
Judeu e pacifista, Einstein chegou a recusar a oferta da presidência do Estado de Israel, em 1952.


A contribuição de Albert Einstein à física moderna é única. A sua carreira científica resultou em um constante desafio das leis universais e imutáveis que regem o mundo físico. As suas teorias confrontaram as questões fundamentais da natureza, desde o gigantesco até o minúsculo, desde o cosmos até as partículas subatômicas, Einstein revolucionou os conceitos aceites até então de tempo e espaço, energia e matéria.

Ele teve um papel crucial no estabelecimento dos dois pilares da física do século 20: foi o pai da Teoria da Relatividade e contribuiu consideravelmente com a formulação da Teoria Quântica
. O génio científico de Einstein residiu na sua percepção intuitiva e penetrante do funcionamento do mundo natural.


Em 18 de Abril de 1955, aos 76 anos, em Princeton, nos Estados Unidos, à 1h e15min, Einstein morre. O corpo é cremado em Trenton às 16 horas, desse mesmo dia. As cinzas são espalhadas em local não revelado. Quando a sua morte foi anunciada, a notícia apareceu nas primeiras páginas dos jornais de todo o mundo: "Morreu um dos maiores homens do século 20".
O seu espólio científico foi doado à Universidade Hebraica de Jerusalém. Insistiu, ainda, que jamais fosse erigido um jazigo ou um marco em sua memória. Com a mesma coragem que expôs em vida, ele esperou a morte com humildade e em silêncio.
O lugar de Einstein está para sempre na história da física.


montagem de fotos


"Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre. A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre." Albert Einstein

6 comentários:

  1. Bom dia
    Comecei o meu dia por aqui e gostei muito de ler este resumo bibliográfico de Albert Einstein.
    De quando em vez aparecem por aqui uns resumos muito interessantes e que muito nos enriquecem.
    A minha primeira observação foi a da educação. É preciso estar atento e nunca penalizar o educando. Quando não aprendem existe algo mais para alem dos nosso conhecimento. Precisam de um acompanhamento mais personalizado.
    Depois as suas sucessivas descobertas e a sua humildade e ainda um espírito combativo pelas causas que considerava justas.
    Pouco conhecia da vida deste homem e génio da humanidade.
    Obrigado pela partilha.

    ResponderEliminar
  2. Muito interessante seu post Maria...
    Sem dúvida alguma, Einstein foi um homem fascinante e um verdadeiro gênio...
    Beijos...

    Valéria

    ResponderEliminar
  3. Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

    Albert Einstein.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Amiga vim te oferecer o selinho do dia das mães! Está na sessão "Eu ofereço"
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Uma das pessoas que mais admiro na vida, não só pelo seu intelecto como também pelo seu lado humano. Foi um homem brilhante um génio entre os génio.
    Excelente artigo, um blog muito interessante cheio de cultura e encanto, um espaço a visitar. Meus parabéns.
    Um abraço
    Bernardo

    ResponderEliminar
  6. Sem sombra de dúvida, uma das personagens mais marcantes da história. Ainda vão demorar muitos anos, até termos compreendido na totalidade, as implicações das suas descobertas.
    Um excelente artigo que resume duma forma astante clara, aquele que foi um dos pilares da ciência como a conhecemos hoje.
    Beijinhos,

    António

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.