segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Vieste Tarde meu Amor - Poema de Joaquim Nunes Claro




Vieste tarde, meu amor! Começa
em mim caindo a neve devagar;
morre o sol, o Outono cai depressa
e o Inverno, finalmente, vai chegar;

e se hoje andamos juntos, na promessa
de caminharmos toda a vida a par,
daqui a pouco, o teu amor tem pressa
e o meu, daqui a pouco, há-de cansar.

Dentro em breve, por trás das velhas portas,
dando um ao outro só palavras mortas,
que rolam mudas pelas nossas vidas,

ouviremos, nas noites desoladas:
tu, a canção das vozes desejadas;
eu, o chorar das vozes esquecidas.


Joaquim Nunes Claro 



 

26 comentários:

  1. Decerto um amor com grande diferença de idade.
    Abraço, saúde e boa semana

    ResponderEliminar
  2. Quando caem as lágrimas em lamento
    Pela recordação de atos imorais
    Existe amor em afastamento
    Que chegando, pode ser tarde de mais
    .
    Um feliz início de semana
    Cuide-se
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  3. Un poème magnifique mais bien triste pour commencer la semaine.
    C'est vrai que les raisons de se réjouir nous sont comptées mais il faut résister et semer l'amour.
    Bisous et courage pour le confinement.

    ResponderEliminar
  4. Lindíssimo soneto de um autor que desconheço, mas que gostei de ler aqui. Obrigada.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde Maria,
    Magnífico soneto de um autor que desconhecia.
    Obrigada pela partilha.
    Beijinhos e uma boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  6. Uma poema super fantástico! :) Boa tarde!
    -
    Sou a alma da minha força.
    .
    Beijo e uma excelente semana.
    Protejam-se!

    ResponderEliminar
  7. Hi Maria, nice picture and poem. Greetings Caroline

    ResponderEliminar
  8. Obrigada Maria, por me dar a conhecer este poeta.
    Um poema um pouco desalentado, mas belo sem dúvida.

    beijinho, saúde e uma boa semana

    ResponderEliminar
  9. mais um bonito poema sobre o amor bjs saude

    ResponderEliminar
  10. Versos de amores tristes.
    Buen lunes Maria. Cuídate.
    Un abrazo

    ResponderEliminar
  11. Un bello poema al amor en el otoño de la vida.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  12. Poema maravilhoso este...e ainda assim, triste...sobre amantes que se encontram tarde demais em suas vidas. Mas, ainda assim, bem poderiam viver um grande amor...!

    ResponderEliminar
  13. Agradeo sua visita em meu blog no meu retorno. Fiquei feliz.
    Uma poesia que traz um pouco de tristeza, mas muito bonita.
    Um abraço,
    Élys.

    ResponderEliminar
  14. Um poema muito bonito, Maria! É bom estar por aqui também em 21...
    Um grande abraço e, vamos adiante, atravessando a pandemia com muita fé e cuidados necessários...

    ResponderEliminar
  15. Maria
    gostei do soneto que escolheu de Joaquim Nunes Claro.
    as imagens também a condizer com a postagem.
    boa semana.
    obrigada pela visita
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde Maria. Obrigado pela poema maravilhoso. A imagem é maravilhosa.

    ResponderEliminar
  17. Olá, amiga Maria!
    Belíssimo soneto aqui nos trás! Palavras sentidas, onde o amor emerge em cada palavra escrita.
    Parabéns ao autor!
    Grato pela excelente partilha!
    Votos de ótima semana!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  18. A vida nas suas várias fases e nas transformações que
    vão acontecendo.

    Gostei muito deste poeta que não conhecia.

    Muito obrigada pelo comentário no Xaile de Seda.

    Beijo
    Olinda

    ResponderEliminar
  19. De todo hay...lo importante es no olvidarse del amor.

    ResponderEliminar
  20. Thank you for sharing this image and words.
    Beautiful.

    All the best Jan

    ResponderEliminar
  21. Mais um autor que é um gosto imenso, descobrir por aqui! Gostei imenso deste poema, sobre um amor, em ponto de desencontro... mas às vezes acontece, encontrarmos as pessoas certas numa fase errada...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo