16/12/2020

Chove dentro da minha Alma - Poema de Adalgisa Nery




Ouço bem a chuva que dentro da minha alma cai.
Debruço-me num tempo erguido pela nostalgia
e a chuva é mais fria.
Procuro em meu coração uma tristeza qualquer;
talvez assim encontre aquecimento
e mude o ritmo da chuva
por algum momento.
Busca em vão.
A chuva continua em compasso firme e lento
desacompanhada de vento.
Procuro em meu coração
um segundo de descanso
e talvez de exultação;
novamente recorri em vão.
Chove dentro da minha alma
o pranto das noites frias
e das inumeráveis tristezas sem razão.


Adalgisa Nery 




8 comentários:

  1. Vamos fazer o sol brilhar na nossa alma.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde de paz, querida amiga Maria!
    Chove em nossa alma, a humanidade chora...
    Situação delicada vivemos de muito pranto.
    Tenha dias abençoados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Olá, amiga Maria!
    Que belo poema aqui nos trouxe!
    Parabéns á autora, pela maravilhosa inspiração!
    Continuação de ótima semana!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Un poema fascinante que supiste encontrar una imagen a su altura.

    Saludos.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo