quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Tu és a esperança - Poema de Eugénio de Andrade




Tu és a esperança, a madrugada.
Nasceste nas tardes de setembro
quando a luz é perfeita e mais doirada,
e há uma fonte crescendo no silêncio
da boca mais sombria e mais fechada.

Para ti criei palavras sem sentido,
inventei brumas, lagos densos,
e deixei no ar braços suspensos
ao encontro da luz que anda contigo.

Tu és a esperança onde deponho
meus versos que não podem ser mais nada.
Esperança minha, onde meus olhos bebem
fundo, como quem bebe a madrugada.


Eugénio de Andrade,
In: 'As Mãos e os Frutos'





13 comentários:

  1. Tem que efectivamente ser a última a morrer.
    Quando perdemos a esperança...

    ResponderEliminar
  2. A esperança é tudo o que nos resta, quando o desespero e a saudade tomou conta de nós.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Gostei tanto de ler aqui este poema de Eugénio de Andrade… Sempre magnífico!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Maria,
    A cada dia fico encantada com seus blogs, poesias maravilhosas, fotos lindas, tudo que encanta aos nossos olhos.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Um poema muito lindo!
    Nesta 1ª visita de 2020, desejo a vc e família, Maria, muita paz, esperança e saúde...
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. "Tu és a esperança onde deponho
    meus versos que não podem ser mais nada."

    Belíssimo poema de Eugénio de Andrade, autor que muito admiro.

    Minha amiga, desejo-lhe um Ano Novo abençoado, ao lado da sua
    Família.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Bello poema, con la primavera todo se renueva, cuanto más el oleaje del buen amor y del mejor ver
    la belleza que siempre está ahí.

    ResponderEliminar
  8. uma partilha muito bela, amiga
    apreciei muito ler o bonito poema de Eugénio de Andrade

    beijo

    ResponderEliminar
  9. Um grande poeta, sendo sempre um prazer imenso, descobrir mais um pouco da sua obra!...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo