sábado, 16 de abril de 2016

Soneto do silêncio - Poema de Alphonsus de Guimaraens Filho




Fantástico silêncio! Nele existe
um clarão momentâneo: e tudo dorme.
Ai! que a noite irreal, cega e disforme,
ainda o faz mais pungente e amargo e triste!

Fantástico silêncio moribundo
aos meus olhos aceso como velas
que iluminassem becos e vielas
pelas cidades pálidas do mundo...

Lá o vejo pender, fruto caído,
lá o vejo soprar contra muralhas
e recobrir — silêncio envelhecido —

o que a noite ocultou, e está perdido...
Lá o vejo oscilar nas cordoalhas
de algum veleiro desaparecido.

Alphonsus de Guimaraens Filho






10 comentários:

  1. Un buen relato así es la ciudad se ven puras luces y edificios lo demás pura imaginación.

    Abrazos feliz fin de semana.

    ResponderEliminar
  2. Oi maria,
    O poema é belíssimo. Não conhecia.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito. Não conhecia.
    Obrigado pela partilha.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Quando o mundo se agita, faz bem um pouco de silêncio, gostei do poema!
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. Áh! Que poema Maravilhoso! Amei. Parabéns pela sua escolha!

    Beijo e um excelente fim de semana.

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderEliminar
  6. Lindo poema !!!!
    Bjs e bom fim de semana !
    Anna

    ResponderEliminar
  7. A vez o silêncio pode fazer bem à alma
    abraços de amizade

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria
    O silencio nem sempre é mau, porque quem sabe ouvir o silêncio...sabe ouir tudo.:-)))
    Beijinho grande e bom fim de Semana
    Teresa

    ResponderEliminar
  9. Belíssimo soneto, de um poeta para mim desconhecido.
    Obrigada pela partilha, Maria.
    Bom fim de semana.
    xx

    ResponderEliminar
  10. Gostei da postagem, é um lindo poema que não conhecia.
    As vezes o silêncio é amedrontante, depende do que vai em nossa alma naquele momento.
    Beijinhos, Léah

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo