quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Aqui - Poema de Alphonsus de Guimaraens Filho



Aqui venho depor uma palavra
que alguém me segredou, mas onde e quando?
Eu sei apenas que alguém falava.
E eu ficava escutando.
Aqui venho depor um sentimento
que é silêncio, talvez.
Eu nada sei senão que vibra ao vento
distante e tormentosa lucidez.
E deixo latejar uma palavra
que nâo foi minha, mas vivi.
A vida quase que se revelava...
Onde e quando, esqueci.


Alphonsus de Guimaraens Filho
In O Tecelão do Assombro, 2000

6 comentários:

  1. Olá Querida Maria:
    Que estejas bem.
    Este poema parece até que está se referindo a mim e meu marido, estamos numa fase de vida que todos os dias falamos: -Ai, meu Deus esqueci! ((-:
    beijinhos, muita paz, Léah

    ResponderEliminar
  2. LINDO =)

    Beijo e um dia feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Poema belíssimo e que desconhecia por completo!
    Adorei!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  4. Poema maravilhoso amiga Maria. Amei demais. Beijos com carinho

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo