quarta-feira, 26 de junho de 2013

Maria - Poema de Antero de Quental





Tenho cantado esperanças...
Tenho falado d'amores...
...Das saudades e dos sonhos
Com que embalo as minhas dores...

Entre os ventos suspirando
Vagas, tênues harmonias,
Tendes visto como correm
Minhas doidas fantasias.

E eu cuidei que era poesia
Todo esse louco sonhar...
Cuidei saber o que é vida
Só porque sei delirar...

Só porque a noite, dormindo
Ao seio duma visão,
Encontrava algum alivio,
Meu dorido coração,

Cuidei ser amor aquilo
E ser aquilo viver...
Oh! que sonhos que se abraçam
Quando se quer esquecer !

Eram fantasmas que a noite
Trouxe, e o dia já levou...
A luz d'estranha alvorada
Hoje minha alma acordou !

Esquecei aqueles cantos...
Só agora sei falar !
Perdoa-me esses delírios...
Só agora soube amar !



Antero de Quental



9 comentários:

  1. Oi Maria
    Maravilhosa poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Maria!
    Que linda escolha do poema, versos que falam de amor, ah, o amor, esse lindo sentimento que move a vida e o mundo!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  3. oi minha amiga,

    lindo poema,
    espero que esteja bem...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Apesar de não ser um autor muito lido tem poesia lindíssima!!!!
    maravilhosa escolha amiga!!!
    bjs
    anacosta

    ResponderEliminar
  5. Maria querida, quanto tempo!...
    Bonito poema!!
    Estou de férias em lugares lindos/João Pessoa/PB...
    Saudades de você... Sempre me lembro com carinho e orações...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. oI QUERIDA MARIA QUE VERSOS MAIS LINDOS, SEMPRE ADMIREI ANTERO DE QUENTAL, DESEJO QUE TODOS ESTEJA COM SAÚDE INCLUSIVE VC, UM ABRAÇO GRANDE CELINA.

    ResponderEliminar
  7. Excelente escolha amiga, boa reflexão.

    beijinho e uma flor

    tenho estado um pouco ausente, motivos de saúde.

    ResponderEliminar
  8. Maria, sempre admirei a poesia de Antero de Quental, especialmente os sonetos metafísicos. Não conhecia este que vc publicou, mas gostei muito!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  9. Muito lindo, este poema, onde só a conclusão
    nos remete para a filosofia de vida de Antero.
    Beijinho
    maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo