sábado, 27 de maio de 2017

CASINOS de MACAU - The Venetian Macau




Macau é sem sombra de dúvidas "Las Vegas" do Oriente. Não aprecio jogo, mas quando lá estivemos de férias, fomos visitar o interior de alguns destes imponentes edifícios. Para além de serem casinos são também enormes centros comerciais e hotéis. São imensos e todos com uma aparência extraordinária e super luxuosa.

Hoje vamos divagar pelo "The Venetian Macau", um dos que mais adorei.






O casino The Venetian, tem 40 andares, está rodeado por sete resorts, localiza-se no istmo de Cotai, zona de aterro entre as ilhas da Taipa e de Coloane. Com 980 mil m2, o Venetian de Macau é uma cópia do empreendimento gémeo The Venetian em Las Vegas, nos Estados Unidos. É a maior estrutura hoteleira da Ásia e o terceiro edifício maior do mundo. 




A torre principal do hotel foi terminada em Julho de 2007 e o resort abriu oficialmente em 28 de Agosto de 2007. O resort tem três mil suites, 111 mil m2 de espaço para feiras e congressos, 149 mil m2 de espaço comercial, 51 mil m2 de casino — o maior do mundo — com 3.400 máquinas de jogos e 800 mesas de jogos e uma arena de 15 mil lugares para espectáculos e eventos desportivos. É propriedade da multinacional Las Vegas Sands.




Ao entrarmos é como se viajássemos pelo interior de um palácio de Itália.










Os pormenores do teto







Percorremos a área comercial e a Leonor estava como sempre, muito bem disposta.





De repente é como se entrássemos em Veneza ... digam lá que eu não razão?















Fiquei encantada!




Fotos: Pessoais
Texto explicativo: Wikipedia
Site Oficial:  The Venetian Macao 


Canção de ninar meu bem





Hoje a lua despiu seu véu
E flutua a dormir no céu
Na canção que de mim nasceu
Meu amado adormeceu
Meu amado adormeceu

Dorme, meu amor
Como no céu a lua
Tu serás sempre meu
E eu só tua

Dorme, amigo, que a poesia
É um mistério que não tem fim

Dorme em calma
Que assim, um dia
Dormirás para sempre em mim
Dormirás para sempre em mim


Vinicius de Moraes 



sexta-feira, 26 de maio de 2017

✿ Silene (Silene colorata) - Flores Silvestres




Dos meios passeios deixo hoje uma flor silvestre com uma cor espetacular, ela é simples mas linda a: Silene colorata





Pequenina e colorida a Silene colorata é uma erva com flor pertencente à família Caryophyllaceae.





Tem como o nome comum Silene Rosada.




É uma erva anual com 15 a 60 cm e bastante ramificada. Cresce em campos cultivados e incultos, nas bermas das estradas e dos caminhos.





Fotos: Pessoais


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Solidão - Poema de Pedro Homem de Mello





Ó solidão! À noite, quando, estranho,
Vagueio sem destino, pelas ruas,
O mar todo é de pedra... E continuas.
Todo o vento é poeira... E continuas.
A Lua, fria, pesa... E continuas.
Uma hora passa e outra... E continuas.
Nas minhas mãos vazias continuas,
No meu sexo indomável continuas,
Na minha branca insónia continuas,
Paro como quem foge. E continuas.
Chamo por toda a gente. E continuas.
Ninguém me ouve. Ninguém! E continuas.
Invento um verso... E rasgo-o. E continuas.
Eterna, continuas... Mas sei por fim que sou do teu tamanho!


Pedro Homem de Mello



quarta-feira, 24 de maio de 2017

MACAU - Templo de A-Má




O Templo de A-Má, localiza-se a meio da encosta poente da Colina da Barra e já existia antes da própria Cidade de Macau ter nascido. Está incluído na Lista dos monumentos históricos do "Centro Histórico de Macau", estando assim incluído na Lista do Património Mundial da Humanidade da UNESCO.










Este templo é considerado o símbolo máximo da cultura chinesa em Macau.




É composto pelo Pavilhão do Pórtico, o Arco Memorial, o Pavilhão de Orações, o Pavilhão da Benevolência, o Pavilhão de Guanyin e o Pavilhão Budista Zhengjiao Chanlin, cada um disposto harmoniosamente com o ambiente natural circundante e contribuindo para a beleza do conjunto. Cada pavilhão é dedicado ao culto de uma divindade chinesa, algo que torna o templo um exemplo singular das diversas influências da cultura chinesa, passando pelo taoísmo, confucionismo, budismo e pelas diversas crenças populares. Os pavilhões datam de épocas diferentes, sendo a configuração actual datada de 1828.


















A cultura e costumes da Deusa A-Ma está enraizada em Macau desde há centenas de anos.









Fotos: Pessoais