domingo, 16 de outubro de 2016

Rosa e Lírio - Poema de Almeida Garrett





A rosa
É formosa
Bem sei.
Porque lhe chamam – flor
D'amor,
Não sei.
A flor,
Bem de amor
É o lírio;
Tem mel no aroma, – dor
Na cor
O lírio.

Se o cheiro
É fagueiro
Na rosa;
Se é de beleza – mor
Primor
A rosa:

No lírio
O martírio
Que é meu
Pintado vejo: – cor
E ardor
É o meu.

A rosa
É formosa,
Bem sei...
E será de outros flor
D'amor...
Não sei.



Almeida Garrett

5 comentários:

  1. Uma rosa vermelha de uma beleza estonteante ,e um lírio branco de uma candura imaculada ,desejo-lhe um domingo muito feliz ,beijinhos no coração.

    ResponderEliminar
  2. O poema é lindo e a ilustração belíssima!
    Escrito por quem entendia de paixões...
    Bom Domingo, MR.
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Tão bonito, este poema! Parabéns pela escolha.

    Bom Domingo.
    Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Que lindo poema! E a ilustração ficou magnífica Maria
    Beijos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.