quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Oh dia de hoje - Sophia de Mello Breyner Andresen





Ó dia de hoje, ó dia de horas claras
Florindo nas ondas, cantando nas florestas,
No teu ar brilham transparentes festas
E o fantasma das maravilhas raras
Visita, uma por uma, as tuas horas
Em que há por vezes súbitas demoras
Plenas como as pausas dum verso.

Ó dia de hoje, ó dia de horas leves
Bailando na doçura
E na amargura
De serem perfeitas e de serem breves.

Sophia de Mello Breyner Andresen


7 comentários:

  1. Não fosse a beleza da poesia e a delicadeza do baile quer das suas palavras, quer das ondas do seu querido mar . Sophia a inconfundível
    Beijinho Maria

    ResponderEliminar
  2. Muito linda a poesia escolhida! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria
    Lindo poema e as imagens também. Bjs querida.

    ResponderEliminar
  4. Grande Sophia.
    Maria, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Como é delicioso revisitar os poemas,
    os sentires e as emoções de Sophia...
    Muito bom.
    Beijinho.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  6. Bela poesia com leveza.
    Uma bela escolha para nos ofertar.
    Grato amiga Maria.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo