quarta-feira, 22 de julho de 2015

Quando te dói a alma




Quando estás descontente,
quando perdes a calma
e odeias toda a gente,
quando te dói a alma,

quando sentes, cruel,
o prazer da vingança,
quando um sabor a fel
te proíbe a esperança,

quando as larvas do tédio
te embotam os sentidos,
e o mal é sem remédio
e a ninguém dás ouvidos,

nega, recusa a dor,
abandona o deserto
das almas sem amor
e mergulha o olhar
em tudo o que está certo,
o mar, a fonte, a flor.



Maria Fernanda Telles de Castro  

   

10 comentários:

  1. Olá, Maria...belo texto da Maria Fernanda...penso que...muitos não sabem o que tem, mas sabem que tem...a dor da alma é tão igualmente forte e provoca tanto sofrimento como outras dores...quanto se houver um desequilíbrio -quase duradouro- perante os diversos desafios da vida, há de se procurar tratamento adequado e rapidamente...agradecido pelo carinho , feliz semana, belos dias, beijos!

    ResponderEliminar
  2. Quando a alma nos doí o melhor mesmo é mergulhar no que é belo, o mar a fonte a flor.
    Um belo poema minha amiga.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Hello Maria,
    Very wonderful and romantic images. Great!!
    Nice words in a lovely poem. Well done!!
    Nice your new profile picture.

    Many greetings,
    Marco

    ResponderEliminar
  4. Quando dói a alma,
    também dói o coração
    amiga tenha calma
    sê feliz com sua paixão!

    Tenha uma boa tarde amiga Maria,
    sem dores na alma, sem dores coração
    com muita saúde e sorrisos de alegria.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  5. A dor é cruel com todos infelizmente, Maria maravilhoso poema tenha uma ótima quarta-feira beijos.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Tão lindo!!
    Por vezes sinto-me assim!

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Não, não odeio ninguém, mas revejo-me em cada palavra!

    Um beijinho Maria
    Adélia

    ResponderEliminar
  8. Sempre lindos momentos de poesia ,muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
  9. A dor é mesmo corrosiva... não nos podemos entregar a ela... mesmo em tudo o que é mau, haverá sempre algo de bom... alguma lição a tirar, ou algo a aprender da forma mais dura...
    Mas não nos devemos entregar a ela... pelo menos, devemo-nos esforçar por isso...
    Lindo o post, Maria!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar
  10. Olá Maria, lindo poema que amei demais. Beijos com carinho

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.