sábado, 20 de fevereiro de 2016

Mar. Manhã



Suavemente grande avança
Cheia de sol a onda do mar;
Pausadamente se balança,
E desce como a descansar.

Tão lenta e longa que parece
De uma criança de Titã
O glauco seio que adormece,
Arfando à brisa da manhã.

Parece ser um ente apenas
Este correr da onda do mar
Como uma cobra que em serenas
Dobras se alongue a colear.

Unido e vasto e interminável
No são sossego azul do sol,
Arfa com um mover-se estável
O oceano ébrio de arrebol.

E a minha sensação é nula,
Quer de prazer, quer de pesar...
Ébria. de alheia a mim ondula
Na onda lúcida do mar.


Fernando Pessoa




7 comentários:

  1. Sempre um privilégio ler Fernando Pessoa.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  2. Desconhecia este poema de Pessoa.

    Beijinhos de bom fim de semana, amiga

    ResponderEliminar
  3. Passei para lhe desejar um lindo final de semana e agradecer o carinho.

    Bjs

    Tânia Camargo

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde querida!
    Vim agradecer a visita e te desejar um lindo fim de semana.
    Beijos... Fátima.

    ResponderEliminar
  5. Passei para a encontrar por aqui
    e gostei do que vi

    Dia feliz

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  6. Brilhante escolha... e poema!...
    Como sempre uma partilha excepcional!...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo