domingo, 21 de fevereiro de 2016

A um Amigo - Poema de Almeida Garret



A um Amigo


Fiel ao costume antigo,
Trago ao meu jovem amigo
Versos próprios deste dia.
E que de os ver tão singelos,
Tão simples como eu, não ria:
Qualquer os fará mais belos,
Ninguém tão d’alma os faria.

Que sobre a flor de seus anos
Soprem tarde os desenganos;
Que em torno os bafeje amor,
Amor da esposa querida,
Prolongando a doce vida
Fruto que suceda à flor.

Recebe este voto, amigo,
Que eu, fiel ao uso antigo,
Quis trazer-te neste dia
Em poucos versos singelos.
Qualquer os fará mais belos,
Ninguém tão d’alma os faria.


Almeida Garrett, em 'Folhas Caídas'





8 comentários:

  1. Mais um lindo poema ,tão bem escolhido! bjs, ótimo dia! chica

    ResponderEliminar
  2. Faria?
    Mas não com a beleza, suavidade e o seu encanto!
    Obrigada pelo poema e pela delicadeza das imagens: a sua!
    Beijinho, Maria

    ResponderEliminar
  3. Maria, belo poema do romantismo de que Almeida Garret, foi grande expoente. Gosto sempre de confrontar todas as versões poéticas.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Maravilhoso poema! do grande Almeida Garrett.
    Bela escolha, gostei
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Boa Tarde, querida Maria!
    Poema que alegra um amigo que o lê...
    Bjm muito fraterno

    ResponderEliminar
  6. Lindo demais! Uma excelente escolha amiga!

    Bjusss

    ResponderEliminar
  7. Um poema delicioso.
    E o amigo deve ter ficado feliz com tais palavras.
    Boa semana, querida amiga Maria.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Mais uma escolha, magnífica...
    Belo poema do nosso grande Garret!...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo