quarta-feira, 31 de março de 2010

Preservar a vida Animal – Panda gigante


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!


Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

Dentro deste contexto, vou começar a falar aqui no meu “cantinho”, sobre animais que se encontram em Vias de Extinção.

A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre.

Hoje: Panda gigante


O panda tornou-se o símbolo das espécies ameaçadas e o emblema da Fundação Mundial de Vida Selvagem o WWF – Worldwide Fund for Nature uma das mais conhecidas organizações ambientalistas do planeta tendo iniciado as suas actividades, em 1962, por iniciativa de um grupo de cientistas da Suíça preocupados com a devastação da natureza.

A rede é apoiada por pessoas de origens diferentes, preocupadas com o mesmo objectivo, que é garantir a preservação do planeta em que vivemos.




Nome Científico: Ailuropoda melanoleuca
Ordem: CARNIVORA
Família: ursídeos


Distribuição e Habitat:
Os pandas gigantes vivem em alguns dos territórios mais altos e inóspitos das montanhas chinesas, junto ao território tibetano. A sua distribuição actual consiste em seis áreas montanhosas isoladas (Minshan, Qinling, Qionglai, Liangshan, Daxiangling, e Xiaoxiangling), nas províncias de Gansu, Shaanxi e Sichuan. Os pandas habitam as florestas temperadas montanhosas com densos bambuzais, principalmente do gênero Sinarundinaria, entre altitudes de 1.200 a 4.100 metros acima do nível do mar.


Identificação:
O panda-gigante assemelha-se aos outros ursos na aparência e proporção, mas é distinguido pela sua marcante coloração contrastante e por algumas características associadas à sua dieta. A pelagem é grossa para suportar as baixas temperaturas no ambiente subalpino em que vive. As manchas oculares, membros, orelhas e uma faixa que atravessa os ombros são negras. O restante do corpo é branco. É um animal de porte razoável, pode pesar até 160kg e medir até 1.5m. As glândulas odoríferas anais produzem secreções com odor intenso com as quais o panda marca o seu território. Em relação à longevidade é cerca de 34 anos em cativeiro e 10-15 anos em liberdade.


Hábitos:
Os pandas são animais normalmente solitários. São mais activos durante o pôr e o nascer do sol. Passam o restante do tempo a dormir em bosques de bambu. Seu território é marcado com uma combinação de odores de urina e marcas com as garras. Evitam conflitos não usando áreas compartilhadas do território durante o mesmo período. Como um animal subtropical, o panda não hiberna.


Alimentação:
Apesar de pertencer à ordem dos Carnívoros, o panda é um animal herbívoro, gastando cerca de 14 a 16 horas por dia a comer, consumindo cerca de 40 kg de plantas. Os seus dentes e mandíbulas são extremamente fortes, adaptados para triturar os colmos do bambu.
A sua dieta é folhas e brotos de bambu, caules, raízes, tubérculos, frutos, flores de vegetais variados, ás vezes insectos, ratos do bambu e peixe.


Reprodução:
A época de reprodução dá-se na Primavera, quando os machos competem pela fêmea fértil. É um animal solitário excepto na época de acasalamento. As mães pandas fazem, no máximo, uma gravidez por ano, que dura entre 7 a 9 meses. Ao nascer, o panda tem apenas 10 cm de comprimento e pesa entre 80 e 150 g. O desmame dá-se com um ano de idade, mas o panda já é capaz de ingerir o bambu em pequenas quantidades desde os seis meses. O intervalo entre as ninhadas é de dois anos ou mais.


Conservação e principais ameaças de extinção:
Os pandas foram capturados até há alguns anos atrás, uns para serem usados em circos e espectáculos, outros apenas para serem mostrados como troféus de caça, e outros ainda para alimentação humana. Hoje a caça não representa problemas devido às rígidas leis chinesas, mas estes factores do passado, conjuntamente com a baixa taxa de natalidade, a alta taxa de mortalidade infantil e a destruição de seu ambiente natural colocam o panda sob ameaça de extinção.


Há que compreender a importância de cada organismo na complexa e maravilhosa teia da Vida na Terra e Nunca nos devemos esquecer que A extinção é para sempre .

Fontes: Wikipedia; www.saudeanimal.com.br/; bicharada.net/animais/; www.naturlink.pt/; www.ecologia.info/panda.htm; Enciclopédia a Vida animal; outros


“A natureza criou o tapete sem fim que recobre a superfície da terra. Dentro da pelagem desse tapete vivem todos os animais, respeitosamente. Nenhum o estraga, nenhum o rói, excepto o homem." (Monteiro Lobato)

2 comentários:

  1. MUITO BOM SEU BLOG VOLTAREI A CAMINHAR POR AQUI VALEU!

    ResponderEliminar
  2. Excelente artigo como sempre. É de facto uma pena que animais tão simpáticos como este, estejam em vias de extinção.
    É reconfortante saber que existem fundações e pessoas sempre preocupadas com este assunto. De qualquer modo, todos temos e devemos contribuir para que isso não aconteça.
    Daí a importância destas mensagens.
    Um excelente trabalho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo