sábado, 27 de março de 2010

Efêmero


“Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é efêmera, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.”




Muitas flores são colhidas cedo demais. Algumas, mesmo ainda em botão. Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira até que, pétala por pétala, tranquilas, vividas, se entregam ao vento.

Mas nos não sabemos adivinhar. Nós não sabemos por quanto tempo estará enfeitando esse Éden nem mesmo em relação áquelas flores que foram plantadas ao nosso redor. E descuidamos. Cuidamos pouco. De nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos e horas preciosos. Perdemos dias, às vezes anos.

Nós calamos quando deveríamos falar; falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio. Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede essa aproximação. Não damos um beijo carinhoso “porque não estamos acostumados com isso” e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.

E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós. Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente. Cobramos. Dos outros. Da vida. De nós mesmos. Nos consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente. E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?

Isso faria uma grande diferença!

E o tempo passa...
Passamos pela vida, não vivemos. Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.
Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás. E então nos perguntamos: e agora?!
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.

Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.

Não olhe para trás. O que passou, passou. O que perdemos, perdemos.
Olhe para frente!

Letícia Thompson

7 comentários:

  1. Bom dia, gostaria de agradecer sua visitas e suas palavras.
    "Na vida buscamos colher as flores existentes no caminho e muitas vezesesquecemo dos espinhos."
    Deixo aqui meu abraço caloroso e fraterno para vc.

    ResponderEliminar
  2. Maria,local lindo aquele,em fotos em post meu,trata-se da cachoeira dos primatas ,na atlantica e única e tão intensa,floresta urbana do mundo,onde energias busco,madrugadas todas ,para forçãs obter,para a vida viver!
    post esse teu,um lindo jardim,envolvendo texto deliciosos esse seu em Efemero post!

    todos os girassois do mundo MARIA!

    vIVA lA vIDA!

    ResponderEliminar
  3. Oi Maria! Deixei um selo pra você lá no meu blog. Vai buscar ta. Bjssss

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Maria.
    Sua postagem tá linda e as fotos encantadoras.
    Eu já a conhecia mas ñ enjoo de ler.
    Parabéns minha bela.
    Beijos mil.

    ResponderEliminar
  5. Olá minha cara Maria, passei para uma visita e adorei seu espaço, muitas imagens fotográficas de qualidade e belos e reflexivos textos.

    Paz e harmonia em seus dias,

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderEliminar
  6. Obrigada pelo comentário do meu vídeo, querida.

    Beijo

    Jacque

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo